Home Empréstimo 7 regras de finanças pessoais que todos nós deveríamos seguir

7 regras de finanças pessoais que todos nós deveríamos seguir

0
7 regras de finanças pessoais que todos nós deveríamos seguir

Seja qual for o seu plano de vida e a fase da vida em que se encontra, a verdade é que seguir regras de finanças pessoais saudáveis significam paz e a realização de seus sonhos.

Um bom planejamento financeiro, no qual você separa uma quantia de sua renda para poupar, significa que você estará preparado para eventualidades como doenças, em condições de comprar o carro que deseja ou tirar as férias ideais.

Confira Também: Cuidados ao solicitar um empréstimo: 5 precauções necessárias

As 7 regras de finanças pessoais

Em um contexto de inflação e incerteza econômica como o Brasil, parece difícil fazer com que nossos reais funcionem. Entretanto, nem tudo está perdido. 

Confira alguns conceitos, estruturas, fórmulas e estratégias específicas que nos ajudarão, do ponto de vista comportamental, a encontrar uma ordem e, consequentemente, a possibilidade de perceber, com o passar do tempo, que o esforço realizado valeu a pena.

Implementar uma mudança completa de vida que imponha uma missão impossível de ser cumprida, mas é preciso encontrar uma abordagem metódica em três dos pilares das finanças pessoais: a elaboração de um orçamento, a contração do hábito de poupar e um plano de investimento, por maior que ele seja.

Seja qual for sua meta, siga estas 10 regras de finanças pessoais para ter em ordem:

Tenha um orçamento (pelo menos por um tempo)

“Não me diga o que você valoriza. Mostre-me seu orçamento e eu lhe direi o que você valoriza.” – Joe Biden

O primeiro passo para melhorar suas finanças é aprender a economizar. E para economizar, é útil saber para onde seu dinheiro está indo. O acompanhamento de seus gastos é uma técnica poderosa para controlar suas finanças, porque lhe dá clareza sobre onde pode melhorar.

As grandes despesas mensais são fáceis de identificar (como aluguel ou hipoteca), mas as despesas recorrentes menores são menos óbvias: lanches, cervejas, Spotify, Netflix, Amazon Prime… No entanto, quando você soma todas essas pequenas despesas, os valores começam a fazer diferença. Como diz o ditado, pequenos buracos podem afundar grandes navios.

O orçamento o obriga a refletir sobre quais despesas realmente valem a pena e quais é melhor cortar. Da mesma forma, monitorar suas calorias o ajudará a entender como seu corpo reage.

Tanto o controle de calorias quanto o de gastos são processos educativos em si mesmos, que eu recomendo fazer durante um período de tempo.

Você precisa fazer isso o tempo todo? Claro que não. Depois de desenvolver alguma intuição, você pode relaxar o controle, desde que no final do mês você economize o suficiente (no caso das finanças) e os quilos não se acumulem (no caso da saúde).

Controle os excessos

“A riqueza não consiste em ter grandes posses, mas em ter poucas necessidades” – Epicteto.

Pequenas despesas recorrentes são uma fonte comum de problemas, mas também os excessos. Gastos impulsivos no fim de semana podem destruir os esforços dos dias anteriores. 

Suas preferências de lazer têm uma influência importante sobre sua riqueza futura. Sem controle, é fácil gastar centenas de reais todo fim de semana ou milhares de reais em férias.

Priorize o pagamento de dívidas

“Toda vez que você toma dinheiro emprestado, está roubando de seu futuro” – Nathan W. Morris

Você não deve gastar seu dinheiro antes de tê-lo. Nada atrapalha mais seu progresso financeiro do que dívidas.  Se você tem dívidas, a maior parte de suas economias deve ser dedicada a se livrar delas.

regras de finanças pessoais

Se você tiver várias dívidas, dedique mais recursos às mais caras, fazendo pagamentos mínimos para as demais. Caso você deva dinheiro em cartões de crédito (com uma taxa de juros de 20%), pague-os primeiro. Isso seria o equivalente a investir com um retorno garantido de 20%. E como esses investimentos não existem, pague seus cartões primeiro.

Pensar a longo prazo

“Os mercados são projetados para transferir dinheiro de pessoas desesperadas para pessoas pacientes” – Warren Buffet

A batalha para seguir as regras de finanças pessoais é, mais uma vez, uma luta entre o cavaleiro e o elefante. O cavaleiro pensa na aposentadoria e na liberdade financeira. O elefante pensa em como ficaria bem em um terno de marca e em um BMW.

Sua riqueza futura dependerá, em grande parte, de quem vencer essa batalha com mais frequência.

Como vimos anteriormente, para ter sucesso, você precisa fazer o seguinte:

  • Dar clareza ao piloto. Definir suas metas de longo prazo e traçar um plano para alcançá-las.
  • Acalmar o elefante. (você vai ver na regra 8).
  • Moldar o caminho. Projetar um ambiente que facilite os comportamentos desejados. No caso de suas finanças, você poderia, por exemplo, automatizar seus investimentos, evitando que o elefante tome decisões erradas.

Decisões difíceis no curto prazo produzem vidas fáceis no longo prazo.

Diversifique

“Não se trata de saber se você está certo ou errado. O importante é quanto dinheiro você ganha quando está certo e quanto dinheiro você perde quando está errado” – George Soros

O futuro é incerto, e concentrar todo o seu patrimônio em um único ativo é perigoso. Você deve investir no mercado de ações, mas também em títulos ou até mesmo comprar alguns imóveis, sem se esquecer de ter sempre uma reserva mínima de caixa.

Diversifique também dentro de cada ativo. Compre ações de várias empresas em uma variedade de regiões geográficas. Tenha títulos públicos, mas também títulos corporativos. Essa é a melhor maneira de buscar um bom retorno a longo prazo com risco mínimo de falência.

Invista no que foi testado e comprovado (e simples)

“As quatro palavras mais perigosas no mundo dos investimentos são ‘desta vez é diferente’.”

Muitas pessoas procuram atalhos para multiplicar seu dinheiro. Elas investem em empresas que parecem estar crescendo rapidamente ou compram produtos de investimento sofisticados, como derivativos. 

A realidade, porém, é que enriquecer selecionando empresas ou ativos individuais é muito complicado. Muitos tentam, mas quase ninguém consegue.

Para a pessoa comum, é mais lucrativo investir em fundos de índice. Esses fundos simplesmente replicam índices (de ações ou títulos) e, no longo prazo, obtêm retornos melhores do que a grande maioria dos especialistas financeiros. Eles também são uma maneira simples de diversificar, facilitando a regra acima.

Em resumo, o processo de acumulação de patrimônio é simples:

  • Poupar.
  • Investir o que você economiza todo mês em uma carteira de fundos indexados a diferentes classes de ativos.
  • Repetir por anos.

Não confunda riqueza com ostentação

“Eu gostaria de viver como um homem pobre, mas com muito dinheiro” – Pablo Picasso

Julgamos a riqueza dos outros pelo que vemos: suas joias, seus carros, suas viagens… No entanto, a verdadeira riqueza geralmente está oculta. Não vemos contas bancárias nem declarações de bens.

Se virmos alguém dirigindo um carro de R$800.000, a única coisa que sabemos com certeza é que essa pessoa agora tem R$800.000 a menos do que antes de comprá-lo.

As aparências geralmente são o maior obstáculo no caminho para a verdadeira riqueza.

Seguindo todas as regras de finanças pessoais, o objetivo não é se exibir, mas ter mais liberdade. Trata-se de alcançar o chamado “Fuck you money”, que permite que você não fique em dívida com ninguém.

Confira Também: Como começar a investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro?