Home Pessoal Investir Antes de Quitar as Dívidas: Porque Você Não Deve Fazer Isso?

Investir Antes de Quitar as Dívidas: Porque Você Não Deve Fazer Isso?

0
Investir Antes de Quitar as Dívidas: Porque Você Não Deve Fazer Isso?

Investir antes de quitar as dívidas? Essa é, sem dúvida, uma das perguntas mais comuns quando se recebe dinheiro extra ou tem economias de sobra.

Às vezes, a solução parece óbvia, mas será que é melhor pagar a dívida? A resposta não é tão simples quanto você imagina, pois na verdade há dois fatores principais a serem considerados.

Antes de tomar uma decisão, há dois aspectos importantes a serem considerados para decidir se é melhor investir ou pagar a dívida.

Devo investir antes de quitar as dívidas?

Quando se trata de paz de espírito financeira, as dívidas geralmente são um dos principais fatores contra. É por isso que o pagamento da dívida deve ser sempre o primeiro passo para a saúde financeira. 

Se você mantiver essa divida, nunca conseguirá definir ou atingir novas metas financeiras. É por isso que você precisa colocar seus negócios em ordem e pagar suas dívidas integralmente.

Há muitos motivos comuns para pedir dinheiro emprestado, incluindo fazer uma compra, cobrir uma despesa inesperada sem economias de emergência ou iniciar um negócio com dívidas.

Não há nada de errado em pedir empréstimos para aumentar suas metas ou lidar com situações repentinas, mas você precisa ter um bom plano para administrar essas dívidas e colher os benefícios do aumento da renda.

O que devo fazer primeiro: pagar a dívida ou investir? 

Para alguns, o cenário ideal é minimizar o ônus da dívida para que possam investir totalmente sem preocupações. No entanto, é importante lembrar que a dívida nem sempre é algo ruim. Se bem administrada, ela lhe dará o ímpeto para atingir objetivos específicos. Um exemplo disso é um empréstimo para aquisição de imóvel residencial, que é um bom empréstimo devido aos benefícios futuros. 

Se estiver se perguntando: o que fazer com seu dinheiro extra? Parabéns, está tomando a decisão certa agora! Em primeiro lugar, você conseguiu economizar dinheiro extra e, em segundo lugar, decidiu não gastar esse dinheiro imediatamente.

Investir ou reduzir dívidas é um problema comum e há várias abordagens a serem consideradas. Examinaremos vários aspectos que explicam ambas as opções e analisaremos diferentes situações que podem influenciar sua decisão. Com isso em mente, baseamos nossas decisões na primeira pergunta importante:

Avaliar o tipo de dívida que você tem

O primeiro passo é saber o que você deve. Não importa se é uma dívida boa ou ruim. Saber isso o ajudará a tomar as medidas corretas. Uma maneira de analisar se a dívida é boa ou ruim é simples. Pergunte a si mesmo e analise o que o beneficiará no longo prazo. Ou seja, o valor que você obtém com ela ou como ela o ajuda a aumentar sua renda ou a manter suas finanças pessoais saudáveis.

A dívida paga por coisas que criam valor a longo prazo, como aumentar seu patrimônio ou ajudá-lo a gerar mais renda. Por outro lado, os empréstimos inadimplentes se distinguem pelo fato de não gerarem nenhuma renda. Em outras palavras, eles se referem a objetos ou itens que são comprados, mas não são necessários na vida cotidiana. Além disso, eles têm uma vida útil curta ou se depreciam rapidamente.

Dívida com juros altos  

Se você perceber que a taxa de juros de sua dívida é alta, é uma boa ideia quitá-la. É importante ter isso em mente, pois esses empréstimos muitas vezes podem causar problemas de pagamento no futuro, já que o efeito dos juros compostos pode afetá-los.

Pode ser usado por pessoas que tenham uma ideia de investimento e estejam procurando um produto que possa gerar renda equivalente aos juros da dívida em um período de tempo muito curto.

Se você tiver uma dívida com juros altos, pode ser importante priorizar o pagamento da dívida em vez de investimentos. Investir o dinheiro que você paga para quitar sua dívida mais tarde pode ser uma opção interessante.

Quando estiver livre de dívidas, você poderá investir o dinheiro que usou para pagar a dívida.

Dívidas com juros fixos  

Se você tiver juros fixos e dívidas de longo prazo (principalmente pagamentos de hipotecas), é importante investir apenas os fundos excedentes, pois isso não coloca seus ativos ou recursos em risco de forma alguma. Como alguém com dívidas com juros altos.

Além disso, esses tipos de empréstimos têm o potencial de oferecer boas oportunidades de investimento com retornos de juros mais altos. 

Se você decidir pagar a dívida em vez de investir  

Depois de saber quais dívidas você tem e decidir quitá-las, é uma boa ideia começar com a dívida que cobra os juros mais altos para que não seja difícil pagá-la.

Concentrar-se na dívida com as taxas de juros mais altas e eliminá-la faz parte de uma técnica chamada “método dos juros mais altos” que pode ajudá-lo a quitar a dívida mais rapidamente.

Se você decidir investir antes de quitar as dívidas

Ao considerar essa opção, significa que sua dívida está sob controle e pode acompanhar seus investimentos. Para começar, é importante pensar em quais são suas metas e o prazo em que deseja alcançá-las. Isso o ajudará a decidir em qual produto investir seu dinheiro. 

Lembre-se de que determinar seu horizonte de investimento é importante para atingir as metas que você definiu para si mesmo. Por exemplo, se você quiser garantir que seu filho tenha uma educação ou se quiser investir na compra de um carro, no primeiro caso, talvez seja melhor pensar em investimentos de longo prazo que lhe permitirão levantar a quantia necessária. No segundo caso, podem ser consideradas medidas de curto ou médio prazo.

Outra opção que pode ser associada a seus investimentos é investir qualquer renda extra que você possa ter em instrumentos que possam lhe dar um retorno maior ou renda adicional e que você possa usar para antecipar o pagamento de suas dívidas. 

Investir antes de quitar as dívidas (Foto - Pexels)
Investir antes de quitar as dívidas (Foto – Pexels)

Escolher entre investir ou reduzir o saldo de sua dívida

Sabemos que os cálculos matemáticos são necessários para escolher a melhor opção, mas eles não são suficientes. Suas circunstâncias pessoais terão um grande impacto em sua decisão, quer você tenha problemas com sua pontuação de crédito, precise de dinheiro extra ou não tenha investido o suficiente para a aposentadoria. 

Lembre-se de que você sempre pode reservar dinheiro extra para investir enquanto quita suas dívidas. Em última análise, é sempre melhor consultar um profissional que possa avaliar sua situação individual e lhe dar uma boa orientação. Entretanto, depois de tomar sua decisão final, você precisará entender a realidade de sua situação financeira.

Conclusão 

Agora que você sabe o que precisa considerar ao tomar a decisão de investir antes de quitar as dívidas, tudo o que resta é adaptá-la às suas necessidades.