Home Pessoal Guia Para Criar Sua Reserva de Emergência

Guia Para Criar Sua Reserva de Emergência

0
Guia Para Criar Sua Reserva de Emergência

Você sabia que pode economizar dinheiro quando trabalha no final do mês? Uma reserva de emergência é o valor que você deve manter em investimentos de fácil acesso para lidar com gastos imprevistos. É crucial prever situações de instabilidade financeira e ter habilidade para gerenciar eventos inesperados.

Economizar uma quantia substancial para emergências ou eventos imprevistos é uma prática que deveria ser essencial. Para calcular esse valor, identifique as economias necessárias para cobrir meses de despesas fixas usando investimentos de liquidez diária, como CDBs, Títulos Públicos Selic, Fundos DI ou Poupança.

Mas quanto devo economizar na reserva de emergência, como calcular, como organizar as finanças para começar a reserva? No artigo de hoje, veremos tudo:

O que é reserva de emergência? 

Uma reserva de emergência é a quantia de dinheiro que você separou para cobrir despesas imprevistas ou inesperadas. Isso te ajuda a cobrir despesas inesperadas e te tranquiliza quando uma situação real de gastos inesperados acontecer.

Considerado economia de alguns meses em investimentos seguros, conservadores e adequados à reserva de emergência para momentos de necessidade. Há muitas opções para investir. Além disso, é um investimento de curto prazo porque se destina a situação emergencial. 

É claro que ninguém quer algo caro e inesperado, mas você pode ter certeza de que, se isso acontecer, o dinheiro não será um problema.

Quanto investir na reserva de emergência?

Uma dúvida comum entre os investidores casuais é quanto dinheiro eles devem reservar para esse fim. A maneira antiga de calcular sua reserva de emergência é multiplicar sua renda mensal pelo número de meses.

Lembre-se de que, se sua renda for variável, você precisará de uma reserva. Os autônomos, diferentemente dos funcionários com contrato formal, não podem receber benefícios como seguro-desemprego, indenização por demissão ou depósitos, portanto, precisam economizar mais dinheiro. 

E quantos meses você deve considerar? A resposta depende das circunstâncias de cada pessoa. Recomendamos 3 meses, idealmente de 6 a 12 meses. Isso permite que você se mantenha por um período de tempo se sua renda for afetada, por exemplo, se você perder o emprego.

Como calcular a reserva de emergência?

É bem tranquilo calcular o seu fundo de emergência. Quando estiver organizando o seu orçamento pessoal ou empresarial, levando em conta todas as despesas, você terá um montante mensal. Aí, é só reservar uma quantia equivalente a três vezes esse valor como uma pequena contribuição para o seu fundo de emergência. Simples assim!

Dando um exemplo, se você gastar R$2.000 por mês, o ideal é ter uma reserva de emergência de R$6.000 (R$2.000 x 3 = R$6.000).

José Falcão Castro, da Easynvest, sugere que o ideal é ter um fundo de emergência equivalente a seis vezes suas despesas mensais, garantindo assim a sustentação do seu padrão de vida por meio ano. 

Portanto, nas condições do exemplo anterior, seria necessário um fundo de emergência de R$12.000,00 (R$2.000 x 6 = R$12.000,00) para cobrir as despesas previstas ao longo de seis meses.

Como começar a reserva de emergência? 

Quando se trata de calcular as reservas financeiras, muitos consideram o processo um tanto impreciso. Para alguns, equilibrar as contas ao final do mês e economizar é um desafio. Então, como tornar a reserva de emergência mais viável? 

Descubra como um planejamento financeiro sólido pode simplificar a criação de uma estratégia de poupança. Explore estas dicas para organizar suas finanças e estabelecer um fundo de emergência.

Desenvolver um hábito de poupança

Criar um fundo de emergência de qualquer tamanho é mais fácil quando você já tem o hábito de economizar, pois essa é uma das maneiras mais rápidas de ver o dinheiro crescer. Se você ainda não tem o hábito de poupar, há alguns pontos fundamentais:

  • Estabeleça uma meta – Definir uma meta para suas economias pode ajudá-lo a se manter motivado. Nesse caso, criar um fundo de emergência para proteger seu bolso contra imprevistos pode ser uma meta alcançável que o ajudará a manter-se consistente. Lembre-se de que, para atingir esse objetivo, você precisa incluir essa economia em seu orçamento!
  • Programe ou automatize suas economias – Há várias maneiras de economizar e, como você lerá abaixo, fazer transferências automáticas ou criar bolsos em sua conta poupança é geralmente uma das maneiras mais fáceis de evitar gastos. Se essa opção não for viável para você, reserve uma quantia específica de dinheiro a cada dia, semana ou quinzena e, se conseguir economizar mais de tempos em tempos, verá esse dinheiro crescer ainda mais rápido.
  • Acompanhe seu progresso – Encontre uma maneira de verificar o andamento da reserva de emergência – você pode anotar o total das contribuições no seu orçamento ou configurar notificações para informá-lo sobre o saldo da poupança. Isso é importante porque acompanhar o seu progresso pode ser incentivador para continuar.
  • Comemore seus sucessos – Se você criar o hábito de economizar, reconheça o que conseguiu e receba o crédito por isso, pois é algo exclusivamente seu. 

Quem deve implementar essa estratégia? Qualquer pessoa, especialmente aquelas com renda fixa e estável.

Gerencie bem seu fluxo de caixa

Quando falamos de fluxo de caixa, estamos nos referindo especificamente a quando o dinheiro entra (receita) e sai (despesa). Quando essas duas ações não são bem planejadas e sincronizadas, é quando, no final do mês, ficamos sem um centavo no bolso ou endividados. 

Por esse motivo, é importante controlar nosso dinheiro, identificar com o que estamos gastando e tomar medidas corretivas a tempo de melhorar nossas finanças pessoais e poder reservar parte do dinheiro. 

Por outro lado, se você perceber que o problema é ter de pagar todas as suas contas ao mesmo tempo e que, no final, acaba pagando juros de atraso porque seu salário não está de acordo com essas datas, converse com seus credores, como o proprietário do imóvel ou o banco do cartão de crédito, e organize melhor as datas de vencimento de suas contas.

Quem deve implementar essa estratégia? Qualquer pessoa, pois é um passo importante no gerenciamento do dinheiro e das finanças pessoais, quer você viva do dia a dia ou tenha um emprego fixo. Mas especialmente se você tiver tendência a gastar demais.

Aproveite as oportunidades de economizar 

Todos nós contamos com certas épocas em que recebemos mais dinheiro, seja um bônus, um trabalho extra ou final do ano com décimo terceiro, aproveite essas épocas para economizar parte do dinheiro e avançar mais na criação do seu fundo de emergência.

Quem deve implementar essa estratégia: Todos, especialmente aqueles com renda variável. Portanto, se você recebe dinheiro em ocasiões especiais, é sempre bom considerar reservar uma parte para poupar.‍

Automatize sua poupança

Programar é uma das maneiras mais eficientes de cumprir o objetivo de criar sua reserva de emergência, sem cair em tentações que o atrasam ou o impedem de avançar.  Portanto, configure uma transferência automática agora para que o dinheiro seja depositado em sua conta poupança, conta corrente ou caixinha de economias que você reservou para esse fim.

Quem deve implementar essa estratégia? Qualquer pessoa que tenha uma conta bancária, especialmente aquelas com renda estável.

Economize com a ajuda de sua empresa

Outra maneira de economizar automaticamente é por meio da empresa em que você trabalha. É sempre possível solicitar que, além das contribuições para a seguridade social, sua empresa também aloque parte do seu salário para seu plano de poupança ou aposentadoria voluntária, por exemplo. 

Portanto, se você se sente tentado a gastar seu salário quando o recebe, essa é uma maneira fácil de economizar dinheiro sem ter que pensar duas vezes.

Quando você deve usar sua reserva de emergência?

Estabeleça regras sobre o que significa uma emergência ou uma despesa inesperada para você. Nem todas as despesas inesperadas podem ser consideradas emergências, mas tente seguir as suas regras. Mesmo que não seja uma ida ao pronto-socorro do hospital, você pode precisar usar sua reserva de emergência para pagar uma conta médica não coberta pelo seguro.

Ter um fundo de reserva para cobrir dificuldades financeiras pode evitar que você tenha de recorrer a outras formas de crédito ou empréstimos, que se tornam dívidas. Se você usar um cartão de crédito ou fizer um empréstimo para cobrir esses tipos de despesas, uma emergência única pode se transformar em uma conta significativamente maior do que a conta original devido a juros e taxas.

Entretanto, se você precisar, não tenha medo de usar. Se você gastar o que estava em sua reserva de emergência, comprometa-se a trabalhar para refazer. Ao longo do tempo, a prática de economizar tornará a reserva de emergência cada vez mais fácil.