Home Empréstimo Como começar a investir em criptomoedas: um guia passo a passo completo

Como começar a investir em criptomoedas: um guia passo a passo completo

0
Como começar a investir em criptomoedas: um guia passo a passo completo

Não há dúvida de que cada vez mais pessoas estão considerando como começar a investir em criptomoedas, atraídas pelos altos retornos que podem ser obtidos neste mercado.

começar a investir em criptomoedas
Começar a investir em criptomoedas

É um tipo de investimento em expansão que pode ter um futuro promissor, mas que também é acompanhado de grandes riscos e incertezas.

Confira Também: Principais erros nos investimentos: evite e tenha altos rendimentos

O que são criptomoedas?

As criptomoedas são moedas digitais ou meios de câmbio que utilizam a criptografia para verificar e assegurar transações, através de um sistema descentralizado. Portanto, elas são ativos que:

  • São 100% digitais: não existem fisicamente.
  • Envolvem uma verificação das transações: têm um registro associado de todas as operações que são realizadas com a moeda criptográfica em questão.
  • Operam de forma descentralizada: diferem das moedas físicas tradicionais, que são apoiadas por uma única autoridade centralizada (bancos centrais).
  • Para funcionar desta forma, as criptomoedas são baseadas em uma tecnologia conhecida como blockchain. Vamos dar uma breve olhada no que ela é.

Como funcionam as criptomoedas?

Antes de tudo, o funcionamento das criptomoedas é feito na chamada tecnologia blockchain. E em que consiste esta tecnologia?

Bem, de uma maneira muito simples, podemos dizer que a blockchain é um conjunto de dados estruturados que ficam em blocos seguros. 

Assim, cada bloco da cadeia contém uma série de metadados que o liga ao bloco anterior, e também é criptografado usando ferramentas criptográficas.

Desta forma, as informações em qualquer bloco não podem mudar sem alterar também todos os outros blocos anteriores da cadeia.

Além disso, a informação na cadeia de blocos é distribuída de forma descentralizada, através de uma estrutura de nó.

Na prática, isto significa que todas as transações que são registradas na cadeia de bloqueios são irrefutavelmente contabilizadas e não podem ser adulteradas ou falsificadas em uma data posterior. Foi isto que tornou possível implementar uma tecnologia como o bitcoin, que foi a primeira moeda criptográfica a utilizar a blockchain.

Riscos de investir em criptomoedas

Uma das coisas que você deve estar muito consciente de como começar a investir em criptomoedas é que se trata de um investimento que não é isento de riscos. Alguns dos riscos mais importantes são os seguintes:

  • Golpes ou hacks: de vez em quando, há casos de golpes por certos corretores de criptomoedas. Além disso, não é raro que alguns sites comerciais sejam atacados por hackers que roubam ativos depositados.
  • Perda de senhas: se você esquecer suas senhas e perder todos os seus backups, não poderá acessar sua carteira de criptomoedas, perdendo todos os seus ativos.
  • Perda de valor do investimento: embora este seja um risco típico de qualquer investimento, ele é aumentado aqui devido à alta volatilidade do mercado de criptomoedas.
  • Ignorância da legislação aplicável: de particular importância é a questão da tributação das criptomoedas, que pode ter sérias consequências em caso de não cumprimento.

Entretanto, isto não significa que se trata de um investimento ruim, longe disso. 

Como começar a investir em criptomoedas: qual é a mais interessante?

Uma das primeiras coisas para saber como começar a investir em criptomoedas é que elas não são todas iguais. Portanto, nem todas elas são igualmente boas quando se trata de investir, especialmente no caso de iniciantes.

Essencialmente, podemos distinguir os seguintes tipos de criptomoedas:

  • Bitcoin: foi a primeira moeda criptográfica e é atualmente a que tem a maior capitalização de mercado. Como tal, ela merece sua própria categoria. É também um dos mais promissores como projeto futuro e, em suma, um dos mais recomendados para investidores iniciantes.
  • Altcoins: esta categoria inclui as numerosas criptomoedas que são apresentadas como alternativas à Bitcoin. Embora existam mais de 10.000 altcoins, alguns dos mais conhecidos são Ethereum (o mais relevante, com um papel vital para a tecnologia NFT), Cardano, Solana, Polkadot, etc.
  • Moedas estáveis: estas “moedas estáveis” são criptomoedas que foram criadas com o objetivo de oferecer um valor estável, reduzindo a volatilidade que caracteriza as outras categorias. Para isso, elas estão ligadas a outro tipo de ativo que lhes proporciona esta estabilidade. Por exemplo, uma moeda fiat (como o Tether ou USDCoin, ligado ao dólar americano), commodities (como o ouro) ou outros criptoassets.
  • Memecoins: finalmente, esta categoria agrupa várias criptomoedas que foram criadas com base em um meme da Internet e cujo valor está na comunidade que as sustenta. Dogecoin e Shiba Inu se destacam aqui. Nestes casos, em vez de investimento em criptomoedas, estaríamos falando de pura especulação. Portanto, eles não são recomendados para iniciantes.

Consequentemente, para saber como começar a investir em criptomoedas, é melhor focar no bitcoin e em alguns dos principais altcoins.

Tipos de investimentos em criptomoedas

A seguir, veremos quais são as diferentes estratégias que você pode usar para começar a investir em criptomoedas, em que tipos de análise se basear para alcançar melhores resultados e, finalmente, quanto dinheiro você deve investir.

Começar a investir em criptomoedas
Começar a investir em criptomoedas

Como começar a investir em criptomoedas? Melhores opções

As principais formas de investir em criptomoedas são as seguintes:

Buy and hold (HODL)

Esta estratégia clássica consiste em comprar criptomoedas e mantê-las em sua carteira por um longo prazo, esperando por sua valorização futura. É sem dúvida uma das opções mais simples de implementar e, a priori, uma das que poderia gerar os maiores retornos.

Negociar

Isto envolve negociar através de compras e vendas de curto prazo, aproveitando as flutuações do mercado. Neste sentido, seria muito semelhante às diferentes estratégias de negociação de ações ou outros ativos. 

Geração de renda passiva

Embora ainda não seja uma abordagem conhecida, é possível gerar renda passiva com criptomoedas. Existem muitas variantes desta estratégia (yield farming, empréstimo, piquetagem, etc.). No entanto, a maioria delas consiste em algum tipo de imobilização, depósito ou empréstimo das moedas que você possui em sua carteira.

NFTs

Estas “fichas não fungíveis” são objetos digitais únicos, que dependem principalmente da tecnologia da cadeia de bloqueio Ethereum para garantir sua singularidade e registrar todas as transações. 

Por exemplo, pode ser um desenho ou uma foto em formato digital, um vídeo, um arquivo de áudio, etc. De acordo com alguns especialistas, as NFTs estão dispostas a revolucionar o mundo da arte.

Gaming

Tudo aponta para o fato de que, em poucos anos, o play-to-earn irá dominar o mundo dos videogames. De fato, os jogadores já podem gerar renda ao receber criptomoedas ou NFTs por suas conquistas no jogo.

Metaverso

Sem dúvida, uma das tecnologias mais promissoras e futuristas dos últimos tempos é a chamada “metaverso”. 

Como você sabe, este é um universo virtual no qual todos os tipos de atividades podem ser feitas. Entre elas, as atividades econômicas nas quais os ativos digitais serão a moeda corrente de troca.

ETFs ou fundos de investimento

Embora ainda sejam raros e pouco conhecidos, existem fundos e ETFs que investem em criptoassets. Portanto, não é um investimento direto em criptomoedas, mas um investimento indireto (você não adquire os criptos nem pode armazená-los em sua carteira). 

Como você pode ver, as opções são muitas e variadas. Dependendo de seu perfil, conhecimento e experiência, você terá que escolher a que melhor lhe convier.

Começar a investir em criptomoedas: quanto investir?

Em princípio, você só deve começar a investir em criptomoedas o dinheiro que puder perder, especialmente se você estiver dando seus primeiros passos neste setor.

Entretanto, se você estiver procurando uma resposta mais concreta, você não deve investir mais de 5-10% do seu patrimônio total em criptomoedas.

Entretanto, cada investidor tem um perfil diferente (idade, tolerância ao risco, recursos financeiros, composição da carteira, etc.), portanto, cada pessoa deve fazer seus próprios cálculos.

Começar a investir em criptomoedas
Começar a investir em criptomoedas

O objetivo final é ter uma carteira diversificada e, portanto, uma carteira equilibrada em termos de risco.

Finalmente, tenha cuidado para não se deixar levar pelo medo de perder em tempos de crescimento, nem entrar em pânico quando grandes quedas são vistas.

Lembre-se de que estes são ativos altamente voláteis, que podem oscilar de forma selvagem em curtos períodos de tempo.

Confira Também: Os golpes financeiros mais aplicados e saiba como se proteger