Home Pessoal Como Se Proteger da Inflação Com Investimentos?

Como Se Proteger da Inflação Com Investimentos?

0
Como Se Proteger da Inflação Com Investimentos?

O aumento contínuo dos preços de bens e serviços é mais do que uma estatística. Ele afeta a vida das pessoas. Com a moeda estável agora, buscamos uma maneira alternativa de saber como se proteger da inflação.

A inflação pode ter um impacto sério em suas finanças pessoais, portanto, é importante tomar medidas para se proteger de seus efeitos. 

Neste artigo, forneceremos algumas dicas e estratégias financeiras práticas para ajudá-lo a se proteger da inflação atual no Brasil.

O que é inflação?

Inflação é um conceito que faz com que os preços em uma economia, geralmente os preços dos bens e serviços de um país, aumentem de forma constante durante um período de tempo. 

Um fenômeno no qual a moeda nacional se deprecia a cada mês, pois com a mesma quantia de dinheiro você pode comprar menos, pagar menos e economizar menos com seu próximo salário.

A inflação é um fenômeno econômico, trabalhista, produtivo e financeiro que afeta e depende de resultados políticos e sociais. Ela é essencial para a qualidade de vida das pessoas, para a classe trabalhista e produtiva do país e para o uso dos recursos públicos.

Como se proteger da inflação

Quando uma economia está presa em um longo e forte processo inflacionário, o poder de compra, a poupança e a capacidade de proteger o valor acumulado tornam-se muito importantes. 

Em teoria, um governo que enfrenta esse cenário administraria os fundos estatais e tomaria decisões para neutralizar a inflação e ofereceria alternativas para evitar que a defasagem aumentasse. 

Eles aumentam as taxas de juros sob certas condições, oferecem bônus e subsídios e preços promocionais. Às vezes o mercado reage “bem” a isso e às vezes reage “mal”. Ou seja, às vezes essas medidas apenas desaceleram o crescimento e, às vezes, simplesmente o aceleram.

Uso de moeda estrangeira

Em economias de moeda dupla ou em países onde a moeda continua a se desvalorizar em relação aos EUA, juntamente com a alta inflação, como na Argentina, onde o dólar é a despesa, muitas pessoas optam por se proteger com dólares. 

As moedas fiduciárias continuam sendo o padrão global para comércio e finanças. Isso pode ser feito convertendo-se as economias anteriores em dólares (tanto em dinheiro bancário quanto em papel-moeda), comprando mais dólares com o excedente da moeda local (em vez de manter pesos) e até mesmo comprando dólares para uso em curto prazo. Entretanto, há países em que a compra de moeda estrangeira é muito restrita.

Uso de stablecoins

As moedas estáveis lastreadas em dólar, como USDT, USDC ou DAI, são excelentes alternativas que podem proteger a economia privada da inflação (o aumento sustentado dos preços de bens e serviços) e desvalorização (a perda de valor da moeda local em relação à moeda nacional).

O USDT é a moeda mais usada, pois oferece as mesmas garantias de estabilidade que o dólar, mas com menos restrições. Ele pode ser usado em qualquer lugar, a qualquer momento e evita restrições de compra de moeda estrangeira porque é tecnicamente um token com valor fixo de US$1, e não dólares.

IPCA

O financiamento direto é considerado a opção mais segura devido à sua abordagem conservadora de investimento. Esse tipo de investimento consiste na compra de títulos públicos emitidos pelo governo. Devido à conexão com os países, as chances de inadimplência são mínimas. 

Atualmente, o Tesouro Direto tem três tipos de títulos, alguns dos quais podem incluir pagamentos semestrais. No caso dos títulos públicos IPCA, que são a melhor proteção contra flutuações inflacionárias, o retorno do investimento é calculado com base em um índice oficial de inflação..

As pessoas que escolhem esse tipo de investimento podem obter o mesmo retorno que obteriam se comprassem um título, mantendo o investimento até o vencimento.

LCI e LCA

O investimento mais popular para proteção contra a inflação geralmente é a LCI do Tesouro, mas também há outras opções para conseguir isso investindo em títulos com uma lógica de retorno semelhante. 

Desse ponto de vista, investir em LCIs e LCAs pode ser uma estratégia benéfica para proteger seu capital contra a desvalorização. 

É importante observar que o Fundo Garantidor de Créditos de Seguros (FGC) assegura investimentos em cartas de crédito de até R$250.000 em caso de não pagamento da renda acordada devido à entidade emissora do título. Como, por exemplo, falência.

Debêntures

Um Debêntures é um instrumento de dívida emitido por uma empresa para fornecer crédito aos investidores. Nesse sentido, é um título que representa a dívida de médio e longo prazo de uma determinada empresa. Essa é uma das estratégias da empresa para levantar capital para executar planos específicos. 

Em vez de tomar emprestado de um banco, eles prometem lhe fornecer financiamento. Os títulos são geralmente investimentos de renda fixa. No entanto, há também dívidas híbridas que têm um componente de pós-fixado e um prefixado. 

Fundos mútuos e ETFs

Se você quiser proteger seu capital da inflação, recomendo que considere investir em fundos mútuos e ETFs. É fundamental ter em mente que essas opções envolvem um nível de risco maior do que as opções anteriores. Portanto, devem ser avaliadas a médio e longo prazo. 

Os fundos que investem em títulos de renda fixa vinculados à inflação, tanto públicos quanto privados, são boas opções porque o objetivo é sempre superar a inflação.

Há também fundos de índice (ETFs) que acompanham um índice específico. Você pode encontrar ETFs baseados no IMA-B, que é o desempenho indexado à inflação dos títulos do governo federal.

O segredo é ser proativo com relação à inflação

Uma inflação descontrolada ou excessivamente alta prejudica tanto o seu bolso quanto a sua poupança. De pouco adiantará se, depois de alguns anos, o dinheiro que poupamos não nos render mais do que cresceu ao longo do tempo. É por isso que é importante poupar com uma estratégia que possa superar a inflação “normal” no longo prazo. Se você quiser superar o nível de 2% em alguns anos, não há necessidade de aumentar significativamente o nível de risco em seu portfólio se a inflação estiver acima desse nível.

Se atingirmos 3% este ano e permanecermos nesse patamar nos próximos cinco anos, a inflação se estabilizará em torno de 2%, o que nos permitirá ter um desempenho superior no médio prazo e superar um 2024 ruim sem correr muito risco. 

Em suma, o objetivo de um portfólio diversificado de títulos e ações com exposição a outros ativos. Como commodities, ouro ou imóveis, é ter um desempenho superior ao longo do tempo sem correr muito risco para evitar esses anos ruins. Suas economias aumentam em valor real ao longo do tempo.