Home Blog Page 3

Planejamento Financeiro Para o Natal: Se Organize Sem Estresse

0
Planejamento Financeiro Para o Natal: Se Organize Sem Estresse

Setembro, outubro, novembro e dezembro são os meses do planejamento financeiro para o Natal, uma oportunidade de examinar mais de perto as finanças pessoais no final do ano, quando os gastos aumentam significativamente para evitar que a economia piore no natal. 

Economizar para o Natal parece difícil, especialmente porque as compras econômicas são raras de se encontrar. Além disso, o grande problema é que, depois que as festas de fim de ano terminam, você pode começar a temer dívidas e extravagâncias.

Se você comete os mesmos erros todos os anos e acaba gastando mais do que esperava, neste Natal você pode ter um planejamento financeiro para o Natal. Confira aqui as melhore dicas!

A importância de reconhecer os gastos no Natal

O Natal é uma época em que gastamos muito dinheiro. Em primeiro lugar, porque estamos acostumados a dar presentes aos nossos entes queridos. Portanto, costumamos ir a casa dos familiares, devemos levar pelo menos um presente para as pessoas em casa.

Além disso, à medida que o fim do ano se aproxima, a tendência de comprar mais aumenta. 

Mas este dezembro pode ser o mês mais caro dos últimos tempos. Em resumo, os preços dos produtos estão subindo, mas a demanda também é alta, pois todos os presentes de Natal são planejados no contexto de uma família conjunta. Mas não há necessidade de se desesperar. 

Aqui estão algumas dicas para economizar dinheiro que podem ser úteis para ajudá-lo a fazer compras melhores. Isso significa que você poderá comprar coisas bonitas para seus entes queridos e não se arriscar a ficar com o nome sujo comprando algo de que realmente não precisa.

Dicas de planejamento financeiro para o Natal

O Natal é uma época festiva. É isso mesmo. Mas é preciso gastar com sabedoria, não gastar como se não houvesse amanhã e sobrecarregar sua conta poupança a ponto de fazer você estremecer.

Lembre-se de que as comemorações do Natal e do Ano Novo acabam, e o que resta são as consequências de suas decisões financeiras. Cabe a você escolher se vai ficar com mais dívidas ou com um saldo positivo em suas finanças pessoais.

Portanto, aqui estão algumas dicas de planejamento financeiro para o Natal sem prejudicar as finanças de sua família.

Faça uma lista de compras de Natal 

Anote os presentes que precisa comprar e os eventos ou festas que planeja participar. Em seguida, defina um orçamento máximo e pense em como economizar. É claro que, com uma lista de itens a serem comprados, fica mais fácil fazer as compras dentro do orçamento e obtê-las da forma mais econômica possível. Só não se esqueça de deixar algo para necessidades inesperadas ou de última hora. 

Pode parecer óbvio, mas é importante planejar antes de fazer as compras de Natal. Caso contrário, você acabará comprando mais presentes do que precisa e gastando mais dinheiro. Escreva quanto você quer gastar e para quem quer dar o presente.

Cumpra o que você disse

Depois de ter orçado um determinado valor, não fique tentado a fazer uma compra mais cara ou maior. Aumentar os custos nessa área significa reduzir os custos em outras áreas. Se você não tiver nenhuma renda adicional, isso pode significar uma nova dívida. Esse é um exemplo claro de erros financeiros cometidos no planejamento financeiro para o Natal.

Não faça compras caras com base em suas emoções daquele momento. Isso porque você pode acabar comprando produtos que realmente não precisa. Pense no que é justo e bom para suas finanças e no que os produtos estão dispostos a lhe oferecer.

Procure descontos, uma das dicas clássicas para economizar dinheiro

É importante procurar descontos ao dar presentes de Natal. Algumas marcas oferecem cupons para incentivar sua primeira compra. Portanto, procure sempre produtos em promoção de natal.

Aproveite os brindes

Tirar proveito dos bônus bancários é uma das melhores dicas de economia. Por exemplo, se você quiser dar um presente para alguém que gosta de viajar pelo mundo e usa principalmente cartões de crédito, você pode acumular milhas que podem ser trocadas por passagens aéreas.

Verifique quando o envio é conveniente

Se você optar por fazer compras online com um cartão de crédito ou débito, poderá ser cobrada uma taxa pelo envio do produto. Nesses casos, verifique se o custo do serviço é muito alto, dependendo da distância até o local. Nesse caso, seria uma boa ideia ir até a loja e comprar pessoalmente.

Em suma, o Natal é uma época maravilhosa para passar com a família. Se você quiser surpreender seus entes queridos com um ótimo presente que não prejudique suas finanças nem ameace suas oportunidades de negócios.

Controle seu cartão de crédito durante as festas de fim de ano

Fazer compras inteligentes e economizar dinheiro é mais fácil do que você imagina. Mas, às vezes, não conseguir controlar todo o dinheiro que gastamos em nossos cartões pode nos endividar ou nos impedir de economizar de forma eficaz. 

Uma das melhores dicas financeiras para o Natal é controlar todos os seus gastos diária ou semanalmente. Isso depende do que você compra. Isso o ajudará a se antecipar a imprevistos de última hora.

Considerações finais

Como você pode ver, essas dicas de planejamento financeiro para o Natal para economizar dinheiro nas compras podem ser uma ótima oportunidade para praticar novos hábitos de economia e gerenciar melhor sua estabilidade financeira. Lembre-se, o Natal não precisa ser perfeito para ser divertido. O mais importante é não se arrepender dos eventos em janeiro. 

Dito isso, é preciso disciplina para manter o orçamento que você criou. Seu primeiro instinto é sempre o correto. Se não for o primeiro da lista, realmente não importa. É por isso que é sempre importante separar suas necessidades de seus desejos. Enquanto aguardamos ansiosamente a diversão das festas de fim de ano, lembre-se de que janeiro é um bom momento para iniciar o planejamento financeiro para um ano financeiro próspero.

Certifique-se de seguir todas essas dicas para economizar dinheiro – cuide de sua carteira e tenha um feriado feliz!

Como Organizar Finanças Para o Revéillon de 2023

0
Como Organizar Finanças Para o Revéillon de 2023

Se você não souber como organizar finanças para o Revéillon de 2023, poderá cobrir as despesas criando um orçamento pessoal, controlando sua renda ou fazendo um empréstimo.

Dezembro é o melhor mês para os trabalhadores porque é a época em que vem as férias e o décimo terceiro. E tudo vai depender de seus objetivos para o Réveillon, se vai desejar estar viajando com a família ou até mesmo de férias em casa. 

Mas mesmo que suas finanças pareçam fora de controle, há medidas simples que podem ser tomadas para manter seu dinheiro em forma e começar o ano com o pé direito.

O que são finanças pessoais?

Primeiro, vamos começar com o básico: o que exatamente significa finanças pessoais? É um plano abrangente para os próximos anos. Não é apenas para os ricos. Com um plano financeiro em vigor, você não precisa mais se preocupar com as surpresas inesperadas da vida. 

Isso inclui informações sobre sua renda, poupança, investimentos, despesas, dívidas e seguros. Isso o ajudará a quitar suas dívidas e a economizar para a financiamentos, o fundo de emergência e a aposentadoria.

Importância das finanças

Se você administrar bem o seu dinheiro, poderá pagar pelas necessidades básicas, como aluguel ou compra de um carro, alimentação, escola e moradia. O desenvolvimento de bons hábitos financeiros é essencial para o planejamento de curto, médio e longo prazo. 

Especialmente para a aposentadoria e para lidar com despesas inesperadas. Um elemento importante para gerenciar adequadamente suas finanças pessoais é conhecer sua situação financeira e sua capacidade de pagamento.

Por exemplo, os meses livres permitem que você faça grandes compras sem ter de gastar muito dinheiro imediatamente. No entanto, se você fizer muitas dessas compras, acabará pagando uma quantia significativa de dinheiro todo mês por tudo, o que pode pressionar seu orçamento pelo resto dos meses.

Por que organizar finanças para o Revéillon de 2023 é essencial?

Organizar finanças para o Revéillon de 2023 nunca deve ficar somente no papel, ela precisa ser realizada com ações. Os motivos são inúmeros, mas aqui estão alguns dos principais a serem considerados.

  • Considere suas necessidades financeiras – Pense em suas finanças de uma perspectiva mais ampla, para que você veja mais do que apenas ir ao trabalho e ganhar dinheiro. 
  • Gerencie sua renda – Se você não planejar o uso de sua renda, acabará gastando demais ou comprando coisas ou produtos desnecessários. 
  • Evite manter dívidas – Ter algumas dívidas não é um problema, mas ter muitas dívidas é perigoso para suas finanças pessoais no réveillon. 
  • Orçamento, gastos e poupança – Mesmo que ganhe um bom salário todo mês, você ainda pode viver endividado se não planejar como usar sua renda. 
  • Finanças pessoais e fluxo de caixa – Outro motivo pelo qual uma vida financeira saudável é importante é manter boas finanças pessoais que possam ajudá-lo a aumentar seu fluxo de caixa. 
  • Segurança familiar – A segurança financeira pessoal e familiar é algo que a maioria das pessoas almeja. 
  • Melhor compreensão financeira – Outro aspecto importante de organizar finanças para o Revéillon de 2023 é a necessidade de compreender melhor suas finanças e os benefícios de cuidar de sua saúde em geral. 

Como organizar finanças para o Revéillon de 2023

Dezembro é definitivamente um mês difícil para os nossos bolsos. Os presentes de Natal para parentes e colegas de trabalho, bem como os preparativos para o Ano Novo e as comemorações familiares, podem afetar muito suas finanças se você não estiver devidamente preparado. Com isso em mente, a Top5Melhores oferece algumas dicas para organizar finanças para o Revéillon de 2023.

Revise seu orçamento

Antes de tudo, é muito importante analisar seu orçamento e decidir quanto planeja gastar em várias atividades nesses dias. Com sorte, podemos reservar esses fundos e usá-los somente para essa finalidade. Isso nos ajuda a organizar nossos negócios e evita que gastemos mais dinheiro do que temos. Isso é essencial se você quiser evitar dívidas!

Faça uma lista de compras

É importante fazer uma lista para organizar suas compras de Natal para não gastar demais. Decida quem receberá o presente e quanto você gastará por pessoa. É importante entender que este não foi um ano fácil. Muitas pessoas perderam seus empregos. Portanto, não há necessidade de se sentir culpado por levar o Natal um pouco mais econômico.

Seja realista

Este foi um ano difícil e, se o seu orçamento for menor do que gostaria por vários motivos, é importante saber que talvez não possamos comemorar o reveillon como gostaríamos. Nossos familiares e amigos precisam entender que, quando estamos em uma situação difícil, talvez não possamos comemorar ou dar presentes como de costume.

O final do ano é repleto de compras, festas e eventos. É importante não exagerar e tentar comemorar o feriado com estilo e transmiti-lo à família e aos amigos. A melhor parte desses dados é que podemos compartilhá-los com as pessoas que mais amamos.

O segredo é manter a disciplina e deixar que seu orçamento tire suas circunstâncias e sua situação financeira. Com tudo isso em mente, tudo o que resta é aproveitar e comemorar um feriado maravilhoso com a família e os amigos.

Reorganiza constantemente seus gastos

A manutenção de um sistema de orçamento mensal permite que você reorganize constantemente seus gastos e calcule se está dentro do orçamento, especialmente durante os meses de altos gastos, como dezembro. Isso o ajudará a evitar pagar alguns juros e arruinar suas finanças no próximo mês. 

Termine o ano com as finanças em ordem

Contudo, agora que você já conhece as etapas para organizar finanças para o Revéillon de 2023, não hesite em colocá-las em prática para começar a perceber que sua situação financeira está mais tranquila. Chegou a hora de escolher entre ter finanças boas ou terminar com números negativos, escolha a primeira opção!

Esperamos que algumas de nossas recomendações o ajudem a aproveitar o final do ano de uma maneira melhor. Não se esqueça de que a boa administração de seus recursos financeiros lhe trará maior bem-estar, permitindo que você atinja algumas das metas mais significativas que melhorarão consideravelmente sua qualidade de vida. 

5 Melhores Aplicativos de Investimentos: Opções Ideais

0
5 Melhores Aplicativos de Investimentos: Opções Ideais

Investir e negociar no mercado de ações não é novidade. A negociação nos mercados financeiros passou por desenvolvimentos significativos com os melhores aplicativos de investimentos

Um aplicativo de investimento permite aos usuários investir no mercado de ações, fazer negociações e visualizar preços. Esses aplicativos têm desempenhado um papel fundamental no crescimento da atividade no mercado de ações global. 

A praticidade e a acessibilidade permitem que os investidores negociem a qualquer hora e em qualquer lugar, desde que tenham uma conexão com a Internet, sem mais delongas, confira os melhores aplicativos de investimentos.

Quais os melhores aplicativos de investimentos?

Os aplicativos de investimento podem ser úteis se você quiser aumentar seus ganhos por meio da Bolsa de Valores do Brasil. Por isso, compartilhamos com você aqueles que estão tendo um grande boom no mercado de ações e no mercado de investimentos, confira os 5 melhores aplicativos de investimentos.

XP Investimentos

Uma plataforma bastante intuitiva para investir no mercado de ações, com uma interface muito fácil de usar. Portanto, é uma boa opção tanto para quem tem conhecimento do mercado de ações quanto para iniciantes. De fato, é um aplicativo em crescimento no momento.

É uma plataforma governamental gratuita na Internet para que qualquer pessoa possa investir em títulos públicos sem a intermediação de bancos, corretoras ou outras instituições.

Nessa plataforma, você terá acesso aos títulos e às taxas emitidas pelo Banco do Brasil; uma de suas principais vantagens é que ela não cobra comissões.

Rico

Ela oferece uma poderosa experiência de investimento digital. Na verdade, ele dá aos usuários acesso a recursos abrangentes de gerenciamento de dinheiro por meio de um design bonito e prático. No aplicativo, você verá que as opções de orientação financeira, afiliação de contas, definição de metas, investimentos e serviços bancários são fáceis de usar e, acima de tudo, fáceis de navegar.

Além disso, permite acessar uma variedade de ativos de renda fixa (Tesouro Direto, Tesouro Selic, CDB, LCI e LCA) e ativos variáveis (fundos de investimento, fundos imobiliários e outras ações). O aplicativo também possui o modo Super Day Trade, que facilita a negociação de ações. 

É uma empresa integrada que proporciona grande confiança aos clientes que podem utilizar contas digitais e outros serviços.

Toro

Uma plataforma de negociação que não cobra comissões e, além de ser uma corretora de investimentos, não acrescenta taxas de corretagem adicionais. É uma plataforma líder em vários países e, no Brasil, também é usada por pessoas que querem investir.

Na Toro, você pode investir em ações com segurança e com a possibilidade de receber notificações sobre eventos do mercado, acesso gratuito a análises gratuitas de especialistas, etc.

Deve-se destacar também que a Toro é bastante inovadora em relação às corretoras convencionais, pois é voltada justamente para pessoas que estão iniciando no mercado de ações.

NuInvest

A NuInvest, antiga Easynvest, é uma corretora do Nubank. Assim como os outros produtos da empresa, o serviço tem como objetivo ajudar os usuários a investir sem burocracia. 

É uma corretora brasileira que se destacou nos últimos anos graças aos seus promotores de investimentos e é uma plataforma simples de usar. Atualmente, ela mantém um registro de negociação graças à sua portabilidade e facilidade de uso. Eles não cobram taxas de administração ou de transação por suas negociações.

O aplicativo também oferece corretores de imóveis, consultoria especializada e acompanhamento do retorno do investimento.

Banco Inter

O aplicativo do Banco Inter é um pouco parecido ao anterior. Além de ser uma plataforma de investimentos, ele também é um banco digital. 

Em outras palavras, ele combina as duas funções em um só lugar. Obviamente, isso significa menos volatilidade no portfólio de investimentos disponível para os clientes. 

Do ponto de vista regulatório, investir no Banco Inter é muito seguro. A instituição financeira foi licenciada pelo Banco Central e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Como escolher um aplicativo para investir?

Escolher um aplicativo para investir dinheiro é uma decisão importante, você deve analisar as diferentes opções existentes no mercado. Aqui estão algumas diretrizes para ajudá-lo a encontrar o aplicativo de investimento que melhor atenda às suas necessidades:

Defina suas metas: É importante saber para que você quer investir. Por exemplo, você quer economizar para a aposentadoria, comprar uma casa, financiar a faculdade de seus filhos ou simplesmente aumentar seu patrimônio?

Entenda as opções de investimento: alguns aplicativos oferecem investimentos em ações, títulos, fundos mútuos, imóveis, criptomoedas, entre outros. Verifique se o aplicativo oferece as opções de investimento nas quais você está interessado.

Avalie os custos: Entenda os custos associados ao aplicativo de investimento, como comissões, taxas de transação, custos de gerenciamento, entre outros. Certifique-se de que eles sejam transparentes e estejam dentro de seu orçamento.

Análise a usabilidade e os recursos: avalie a facilidade de uso, a interface do usuário, a capacidade de fazer depósitos e retiradas, entre outros. Escolha um aplicativo que seja intuitivo e fácil de usar, pois isso tornará sua experiência de investimento mais agradável.

Ferramentas e recursos: considere se o aplicativo oferece materiais educacionais

calculadoras de investimento ou outras ferramentas que possam ser úteis para suas necessidades de investimento, especialmente se você for um investidor iniciante.

Teste o aplicativo: Comece a investir com uma pequena quantia de dinheiro para se familiarizar com o funcionamento do aplicativo e avaliar se ele atende às suas expectativas. Isso permitirá que você saiba se o aplicativo é adequado para você antes de investir uma quantia considerável de dinheiro.

Por fim, procure opiniões de outros usuários e leia resenhas, pesquise o que os outros acham do aplicativo que você deseja usar. Isso lhe dará uma ideia da satisfação dos usuários atuais.

Considerações finais

O rápido avanço da tecnologia beneficiou os investidores ao oferecer os melhores aplicativos de investimentos, trazendo mais transparência e opções de investimento do que nunca. Originalmente, essa transformação tecnológica foi sentida mais nas experiências de negociação online, ou seja, na internet.

Entretanto, com mais investidores optando por usar dispositivos móveis, as partes interessadas do mercado de ações também se concentraram em aprimorar o uso de um aplicativo móvel.

Entretanto, os investidores mais sofisticados e os participantes ativos do mercado, como os operadores, provavelmente nunca se sentirão completamente à vontade para mudar para experiências somente em dispositivos móveis. 

Há limitações físicas no tamanho da tela do celular que frustram os fãs de gráficos e muitos dos recursos e ferramentas mais pesados das plataformas de negociação ainda estão ausentes ou compactadas nas versões móveis.

Os investidores experientes, tendem a preferir um nível mais alto de personalização que, na verdade, só pode ser feito em uma plataforma de desktop. Entretanto, para os investidores médios, a escolha entre usar versões móveis ou de desktop das plataformas de negociação é agora principalmente uma questão de preferência.

Por que Investir na Cielo (CIEL3)? Veja Crescimento, Valor e Previsão

Por que Investir na Cielo (CIEL3)? Veja Crescimento, Valor e Previsão

Uma das perguntas feitas na comunidade de investimentos é “Devo investir na Cielo (CIEL3)?” A Cielo (CIEL3) teve outro trimestre sólido, mas não atingiu as expectativas, principalmente devido ao volume total de pagamentos abaixo do esperado. 

A Cielo (CIEL3) é a ação mais barata e mais rentável do Ibovespa neste ano. Desde o início de 2023, os ativos da empresa de tecnologia caíram em -41.51 %. Nesse contexto, muitos estão se perguntando se essas tendências continuarão até 2024.

A Cielo (CIEL3) tem atualmente mais de 1,2 milhão de clientes ativos e opera em mais de 5.500 cidades. Sendo assim, neste artigo, analisaremos mais de perto essa questão e forneceremos as informações de que você precisa para tomar uma decisão informada.

O que é Cielo

A Cielo é a maior empresa brasileira de cartões de pagamento da América Latina, é uma empresa de tecnologia e inovação focada em pagamentos eletrônicos. A empresa também é controlada pelo Bradesco e pelo Banco do Brasil, que detêm mais de 58% das ações.

Foi originalmente criada em 1995 por meio de uma parceria entre bancos públicos e privados (Bradesco, Banco do Brasil, Banco Real e Banco Nacional) e a Visa International. Os analistas do Santander dizem que a empresa de máquinas de venda automática de cédulas está entre as que se beneficiam de um cenário de crédito mais caro e restrito. 

A empresa está listada no setor do Novo Mercado e suas ações são negociadas sob o símbolo CIEL3. Cerca de 42,12% do capital autorizado (ON), avaliado em R$9,6 bilhões, é negociado livremente na Bolsa de Valores brasileira (B3).

O que os analistas dizem sobre investir na Cielo (CIEL3)?

Os analistas financeiros têm opiniões divergentes sobre a Cielo. Alguns acreditam que a empresa está bem posicionada para aproveitar as oportunidades de crescimento no setor de pagamentos, enquanto outros estão preocupados com o aumento da concorrência.

  • Pontos fortes: os analistas com opiniões positivas sobre a Cielo acreditam que a empresa está bem posicionada para enfrentar os desafios do mercado. Eles apontam a marca forte da Cielo, a ampla base de clientes e as capacidades inovadoras como razões para seu otimismo. 
  • Pontos negativos: No lado negativo, os analistas da Cielo estão preocupados com a forte concorrência no setor de pagamentos. Eles acreditam que a empresa pode ter dificuldades para se manter lucrativa com a entrada de novos participantes no mercado.

Qual o preço alvo da CIEL3?

Como o próprio termo sugere, o preço-alvo é o valor que o mercado espera que a ação atinja. A CIEL3 tem um preço-alvo médio de R$6,19, de acordo com uma análise de 16 corretoras. O Bank of America (BofA) rebaixou a ação da Cielo de “compra” para “neutra” e reduziu seu preço-alvo de 7,50 reais para 5,40 reais.

Em 28 de março, a CIEL3 foi avaliada em R$4,95, representando um potencial aumento de 19% no valor das ações da Cielo em relação ao Andbank. O banco elevou sua previsão de lucro operacional para 2023 e 2024 em 18% devido à expectativa de forte atividade econômica.

Diferentes analistas e bancos de investimento têm diferentes metas e recomendações para o preço das ações.

Decidindo se vale a pena investir na Cielo (CIEL3)

Decidir se vale a pena investir em ações da Cielo em 2023 dependerá de uma série de fatores, incluindo sua tolerância ao risco, seus objetivos de investimento e as perspectivas do mercado financeiro.

  • Tolerância ao risco: Investir em ações envolve risco. Antes de decidir se deseja investir em ações da Cielo, você deve considerar sua tolerância ao risco. Se você estiver disposto a assumir mais riscos em troca de retornos potencialmente mais altos, investir em ações da Cielo pode ser uma opção atraente.
  • Objetivos de investimento: Seus objetivos de investimento também desempenham um papel importante na decisão de investir ou não em ações da Cielo. Se você estiver procurando um investimento de longo prazo com potencial de bons retornos, as ações da Cielo podem ser uma boa opção. 
  • Atitude em relação aos mercados financeiros: A atitude em relação aos mercados financeiros também é importante. Se você acredita que o setor de pagamentos continuará a crescer e que a Cielo está bem posicionada para se beneficiar dessa tendência, pode valer a pena investir em ações.

Vale a pena?

A decisão de investir em ações da Cielo em 2023 dependerá de vários fatores. Embora a empresa enfrente desafios, ela também oferece muitas oportunidades. Ao considerar sua tolerância ao risco, seus objetivos de investimento e as perspectivas do mercado financeiro, você pode tomar uma decisão informada sobre se as ações da Cielo são um investimento que vale a pena.

Guia passo a passo sobre como comprar ações e investir na Cielo (CIEL3)

Antes de tudo, aqui explicamos como funciona o mercado de ações, o que influencia a flutuação dos preços das ações e o que considerar ao escolher uma corretora de valores, entre outras coisas.

Abrir uma conta em uma corretora

A primeira coisa que você precisa fazer é abrir uma conta em uma corretora on-line. Essa é uma etapa muito simples que economiza muito dinheiro, pois essas corretoras cobram muito menos comissão do que um banco tradicional. 

Para o nosso exemplo, escolhemos a Toro, porque ela não cobra comissões de negociação e porque também permite que você copie os investimentos feitos por outros traders experientes. 

Preencha seus dados pessoais

Quando decidir abrir sua conta, a primeira coisa que lhe será solicitada é um nome de usuário (para poder fazer login mais tarde) e um endereço de e-mail. Em seguida, serão solicitados seus dados pessoais para que você possa começar a negociar.

Faça um depósito

Depois de abrir sua conta, você precisará depositar dinheiro nela para começar a negociar. Normalmente, você terá vários métodos de depósito, como transferência eletrônica, cartão de crédito ou até mesmo Paypal em muitos casos. Lembre-se de que o pagamento por cartão de crédito ou Paypal carregará sua conta instantaneamente, enquanto uma transferência eletrônica levará alguns dias para chegar.

Escolha Cielo

Depois de abrir a sua conta e depositar fundos usando um dos métodos acima, é hora de comprar as ações da Cielo. Para isso, você pode usar o localizador de ações na parte superior do painel do usuário. Digite Cielo (CIEL3) e clique no botão de investir.

Indique o valor que você vai investir

Sendo assim, depois de selecionar a ação que vai comprar, você também deve indicar quanto dinheiro ou quantas ações vai comprar da Cielo (CIEL3). Lembre-se de que não é necessário investir todo o seu dinheiro em uma única ação. Na verdade, recomendamos que você diversifique seu portfólio em várias empresas.

Comprar a ação

Finalmente, depois de concluir todas as etapas, você chegou ao momento final de comprar as ações. Você clicará no botão “comprar” e, em questão de segundos, terá as ações em sua conta.

Investir na Cielo (CIEL3) (Foto - Pexels)
Investir na Cielo (CIEL3) (Foto – Pexels)

Considerações finais

Portanto, os investidores que acompanham o papel CIEL3 mais de perto têm observado uma queda nos preços. Por que isso está acontecendo? Segundo Fernando, o principal fator que gera queda das ações da Cielo é a forte concorrência do segmento em que atua.

“Cada vez que a Cielo faz uma nova apresentação ou muda o layout, a concorrência vem toda em cima”, afirma o especialista.

Vendo as ações caírem, sabendo que o mercado considera que o papel está barato e que deve se valorizar no ano que vem, você se pergunta: “Então, é hora de investir na Cielo (CIEL3)?”. \

“Neste momento não é hora de comprar CIEL3”, afirma Fernando. “Acho que há ações melhores para investir na Bolsa agora”, complementa. Isso porque a competição do setor é forte e o Pix vem ganhando cada vez mais espaço como um forte meio de pagamento.

Rendimento de Dividendos: Como Ganhar Dinheiro Com Eles

0
Rendimento de Dividendos: Como Ganhar Dinheiro Com Eles

Uma excelente maneira de gerar riqueza a longo prazo é investir no mercado de ações e ter um bom rendimento de dividendos. Sendo assim, dependendo dos ativos em que investem, alguns investidores também podem obter renda por meio dessa fonte. 

Rendimento de Dividendos (Foto - Unsplash)
Rendimento de Dividendos (Foto – Unsplash)

As empresas que emitem ações com dividendos são aquelas que distribuem uma parte de seus lucros aos investidores. Pagamentos feitos mensalmente, trimestralmente ou anualmente. Há diferentes categorias de dividendos e não há um valor fixo que as empresas devam pagar. 

Sendo assim, a seguir, explicaremos como funciona o rendimento de dividendos e o que é importante saber ao considerar investimentos com ele. 

O que são dividendos? 

Antes de tudo, os dividendos representam pagamentos regulares feitos aos investidores de uma empresa em troca de sua participação acionária. Caso uma empresa consiga gerar receitas capazes de cobrir todos os seus projetos e despesas operacionais essenciais, ela poderá optar por distribuir os fundos excedentes aos acionistas da empresa. 

O rendimento de dividendos que um investidor recebe é afetado por vários fatores, inclusive o número de ações detidas, a empresa na qual o investidor investiu e a regularidade com que os dividendos são pagos. 

É importante considerar que os pagamentos de dividendos podem variar em resposta a mudanças nos lucros da empresa ou mesmo nas condições do mercado em geral, se e quando houver mudanças significativas no setor específico em que a empresa opera. 

As empresas optam por pagar dividendos por vários motivos: 

  • Os dividendos são tentadores para atrair mais investidores – Os dividendos são uma estratégia implementada pelas empresas para manter o interesse dos investidores em investir em suas empresas. 
  • A disponibilidade de fundos para pagar dividendos pode ser um sinal de saúde financeira – Isso pode indicar aos investidores que a empresa em que estão investindo está indo bem. Para poder pagar dividendos de forma consistente, a empresa deve ser capaz de gerar fluxo de caixa suficiente. O fato de a empresa pagar dividendos de forma consistente ao longo do tempo demonstra que ela tem um modelo de negócios sustentável de longo prazo. 

Destaques importantes

  • O rendimento dos dividendos fica sendo calculado dividindo-se o dividendo anual por ação pelo preço da ação. 
  • A data de registro é o momento em que a empresa analisa e registra as informações das pessoas com direito a receber pagamentos de dividendos. 
  • Prazo final. Em outras palavras, se você comprar ações depois dessa data, perderá o próximo dividendo programado para ser pago pela empresa. 
  • A data de declaração refere-se ao dia em que o conselho de administração de uma empresa oficializa o anúncio do próximo pagamento de dividendos. É possível esperar para saber o valor do dividendo, a data em que o dividendo não é considerado pagável e a data em que o pagamento será feito. 
  • A data de pagamento corresponde ao dia em que as empresas enviarão cheques aos acionistas ou creditarão os pagamentos em suas contas de corretagem. 

Por que as empresas pagam dividendos?

As empresas pagam dividendos por diferentes razões e motivações. Um dos principais motivos é recompensar os acionistas por seu investimento na empresa. Ao receber dividendos, os acionistas recebem uma parte dos lucros gerados pela empresa, o que lhes permite obter benefícios econômicos adicionais.

Outro motivo pelo qual as empresas pagam dividendos é para manter a confiança dos investidores e atrair novos acionistas. O pagamento regular de dividendos pode indicar que a empresa é lucrativa e está gerando um fluxo constante de renda. Isso pode ser atraente para possíveis investidores, pois demonstra a estabilidade financeira da empresa.

Além disso, o pagamento de dividendos também pode ser uma estratégia fiscal. Ao distribuir lucros por meio de dividendos, a empresa pode reduzir sua base tributária e, portanto, pagar menos impostos.

Em resumo, as empresas pagam dividendos para recompensar seus acionistas, manter a confiança do investidor, atrair novos acionistas e reduzir sua carga tributária. 

Como ele é calculado?

O rendimento de dividendos (ou rendimento do mercado de ações) é outra forma de comparar os dividendos com o preço das ações de uma empresa. É o rendimento de dividendos expresso como uma porcentagem do preço da ação. Geralmente, está entre 1% e 5%. Por exemplo, se o preço das ações de uma empresa for R$100 e seu dividendo for R$5, o rendimento de dividendos será de 5%.

Como começar a investir em ações com rendimento de dividendos

Você pode investir em ações de dividendos da mesma forma que em qualquer outra ação, por meio de sua corretora ou outra conta de investimento. Você pode analisar as ações de dividendos com base em seu rendimento ou crescimento. 

O rendimento de dividendos informa quanto uma empresa paga em dividendos em relação ao preço de suas ações. Quanto maior o rendimento, mais você pode ganhar. Mas lembre-se de que as ações de baixo rendimento inflacionam o rendimento e os pagamentos mais altos podem não ser sustentáveis. 

Você também pode tirar proveito das ações de crescimento de dividendos. Essas são empresas que aumentam regularmente seus dividendos ao longo do tempo. Elas tendem a ter um rendimento menor, mas o aumento constante do pagamento ao longo do tempo pode torná-las mais atraentes.

Você pode explorar empresas que pagam dividendos em muitos setores diferentes, como tecnologia, saúde, bancos, finanças, petróleo e gás, entre outros. Tenha cuidado para não buscar apenas as ações de maior rendimento. Aprenda sobre cada ação e tenha em mente que as empresas com lucros estáveis e finanças saudáveis tendem a ser as melhores pagadoras de dividendos.

Rendimento de Dividendos (Foto - Unsplash)
Rendimento de Dividendos (Foto – Unsplash)

Considerações finais

Os dividendos são benéficos para os investidores e para as empresas. É um sinal de que a empresa está indo bem e pode compartilhar os lucros com os investidores.

As empresas não são obrigadas a pagar dividendos, mas se fizerem, os investidores esperam que elas continuem pagando rendimento de dividendos mesmo durante dificuldades econômicas. 

Ressaltando que, quando uma empresa anuncia um corte no pagamento de dividendos durante um trimestre, o preço de suas ações geralmente cai. 

Além disso, um corte total de dividendos geralmente indica que a empresa está com problemas e que talvez seja hora de os investidores venderem suas ações.

Como Criar um Orçamento de Gastos Fixos em Passos Simples

0
Como Criar um Orçamento de Gastos Fixos em Passos Simples

Se você está se preparando para se mudar, ajudar um membro da família ou comprar uma casa, economizar dinheiro é essencial. Você sabe que precisa de um orçamento, mas talvez não saiba como criar um orçamento de gastos fixos

Como Criar um Orçamento de Gastos Fixos (Foto - Unsplash)
Como Criar um Orçamento de Gastos Fixos (Foto – Unsplash)

A ferramenta mais útil para gerenciar melhor seu dinheiro (um pouco ou muito) é um orçamento pessoal. Isso permite que você veja quanto dinheiro está recebendo e como está gastando. 

Sendo assim, um orçamento estruturado não só o ajudará a assumir o controle de suas finanças pessoais, como também o ajudará a aprender a economizar mais, a administrar seu capital e a resolver seus problemas financeiros. Confira nosso guia de como criar um orçamento de gastos fixos.

O que é um orçamento de gastos fixos?

O planejamento financeiro é um plano financeiro que permite que você conheça sua situação financeira, classificando as contas, levando em conta as despesas regulares e urgentes e a renda em um determinado período. Um orçamento pessoal é, portanto, um orçamento que inclui apenas despesas e receitas pessoais.

O método mais comum é criar um orçamento pessoal mensal. Isso ocorre porque os salários e outras receitas semelhantes são informados mensalmente e muitas despesas são medidas mensalmente. Entretanto, dependendo de sua renda e de suas metas, o orçamento pode ser feito diariamente, semanalmente, quinzenalmente ou anualmente. 

Se você é uma família com várias fontes de renda e cada membro tem despesas pessoais diferentes, mas todos dependem dessa renda, é melhor criar um orçamento familiar.

Por que fazer um orçamento de gastos fixos?

Se criar um orçamento mensal não é facil para você, você não está sozinho. Uma pesquisa da National Foundation for Credit Counseling descobriu que seis em cada dez pessoas não cumprem um orçamento mensal. Há muitas razões para criar um orçamento.

  • Pagar a mensalidade da faculdade;
  • Fazer uma grande compra;
  • Enviar dinheiro para entes queridos;
  • Economizar dinheiro para emergências.

Ter um orçamento pode ser uma das ferramentas de gerenciamento de dinheiro mais valiosas. Essa é a chave para administrar seu dinheiro com sabedoria e eficiência.

Como criar um orçamento de gastos fixos?

Há dezenas de maneiras de criar um orçamento. Você pode criar um que separe seu dinheiro por categoria, dívida ou até mesmo metas de poupança… Alguns o obrigam a controlar cada custo até o último milímetro, enquanto outros facilitam muito. 

Na verdade, se for a sua primeira vez, é melhor experimentar a versão básica e personalizá-la depois que se acostumar com ela. “A parte mais difícil de um orçamento não é prepará-lo, mas executá-lo.” 

É por isso que mostramos a você como criar um orçamento de gastos fixos, eficaz e fácil que você poderá executar sem problemas. Vamos começar.

Defina sua renda mensal

Essa é provavelmente a etapa mais simples e envolve anotar quanto você ganha por mês. Se você trabalha, provavelmente já sabe disso. Entretanto, tenha em mente duas coisas:

Aproveite sua renda líquida mensal

Seu orçamento é baseado em sua renda líquida regular, que é o dinheiro que você tem em sua conta após as deduções e impostos. Não baseie seu orçamento no salário bruto.

Não baseie seu orçamento de gastos fixos em suposições

Você deve basear seu orçamento de gastos fixos em seu histórico de renda nos últimos 12 meses, não em projeções futuras. Por exemplo, se você acha que receberá um salário adicional ou uma renda adicional de R$1.000 em meio ano, é melhor não levar isso em conta ao fazer seu orçamento.

Analise seus gastos

Em que você gasta seu dinheiro? Para analisar seus custos, recomendamos que você crie primeiro uma planilha do Excel. O ideal é que você anote suas despesas dos últimos 12 meses, mas se isso for demais, você pode anotar suas despesas dos últimos 6 meses.

Classifique suas despesas

Levamos em conta todos os custos mencionados no programa Excel e os dividimos nos seguintes grupos no orçamento de gastos fixos:

Custos fixos não variáveis

Eles são importantes em sua vida diária e são coisas que não mudam de mês para mês. É importante detalhar cada despesa. Exemplos: aluguel, luz, internet, seguro-saúde, empréstimos, dívidas etc.

Custos fixos variáveis

É importante, mas também depende de seu consumo mensal. Como se trata de uma despesa variável, para determinar o valor, você precisa observar quanto gastou nos últimos 6 a 12 meses e escolher o valor mais alto. O segredo é retratar personagens realistas. Se você gasta uma média de R$1.350, não precisa gastar R$700 em compras.

Custos dispensáveis

Incluem restaurantes, entretenimento, presentes, esportes, viagens e muito mais. Estabeleça uma meta para cada despesa (por exemplo, “Eu gasto R$50 por mês em restaurantes”) e tente não ultrapassar.

Crie seu Excel

Agora que você tem suas despesas identificadas e classificadas, é hora de criar seu Excel, mas você também pode usar um app de gestão financeira. Você trabalhará com quatro colunas:

Categoria. Aqui você colocará a classificação que mostramos anteriormente:

  • Despesas fixas NÃO variáveis
  • Despesas fixas variáveis
  • Poupança
  • Despesas gastáveis

Conceito. Aqui você detalha em que consiste cada despesa:

  • Aluguel da casa
  • Empréstimo X
  • Mercado
  • Gasolina…

Previsão: quanto dinheiro você gastará por mês em cada item?

  • Para defini-la, leve em conta o gasto máximo dos últimos doze meses.

Atual. Nessa coluna, você somará as despesas que gastou em cada item durante o mês. Por exemplo:

  • Se você paga o aluguel, anote na coluna “atual” quanto pagou.
  • Se você for ao supermercado, anote quanto gastou. Quando for fazer compras novamente, se isso ocorrer durante o mesmo mês, você adiciona a nova compra ao valor anterior.

Revise, reformule e corrija

Ao analisar seu orçamento, você pode se deparar com muitas situações diferentes. Por exemplo, meu orçamento de lazer aumentou drasticamente, então gastei R$200 em vez de R$100. Ou os preços da gasolina subiram, forçando a gastar mais dinheiro com esses itens. 

Cuidado para não exagerar! A ideia básica do orçamento é o controle de custos. Não faz sentido fazer tudo isso e depois compensar os custos extras com o que você deveria estar economizando. 

Entretanto, se você tem consciência de suas despesas, deve saber que seu orçamento deve ser para viver. Revise seu orçamento, ajuste suas previsões de gastos, se necessário, e ajuste-as à sua realidade diária.

Como Criar um Orçamento de Gastos Fixos (Foto - Unsplash)
Como Criar um Orçamento de Gastos Fixos (Foto – Unsplash)

Considerações Finais

Depois de criar um orçamento de gastos fixos, você pode descobrir que suas despesas reais são diferentes daquelas inicialmente orçadas, e talvez seja necessário reduzir algumas delas. Algumas são mais fáceis de cortar do que outras. Por exemplo, você precisa pagar o financiamento da casa ou a prestação do carro, e talvez não seja possível cortar nada. 

Mas você pode elaborar estratégias para reduzir o custo dos serviços públicos – maneiras de economizar água ou eletricidade – ou encontrar lugares mais baratos para fazer compras no mercado. Tentar gastar menos geralmente é um ponto de partida melhor do que cortar completamente uma despesa.

Se o seu orçamento for realista e você o usar como guia para seus gastos, estará mais bem preparado para emergências (outros custos inesperados). Você também estará preparado para um futuro financeiro melhor.

Atendimento ao Cliente: Como Implementar o Whatsapp no Seu Negócio

0
Atendimento ao Cliente: Como Implementar o Whatsapp no Seu Negócio

O atendimento profissional ao cliente é fundamental para o sucesso de qualquer empresa. Saber como implementar o Whatsapp no seu negócio consiste em fornecer suporte por meio de vários canais para garantir a satisfação do cliente com o produto ou serviço que ele adquiriu. 

Nos últimos anos, o WhatsApp ganhou popularidade como uma ferramenta de atendimento ao cliente para empresas devido ao seu tempo de resposta rápido e maior eficiência. 

Portanto, este artigo explica como as empresas podem usar o WhatsApp como uma ferramenta de atendimento ao cliente, além de destacar os benefícios de fazer isso. 

Por que você deve implementar o Whatsapp no seu negócio?

Com mais de 2,5 bilhões de usuários ativos em todo o mundo, o WhatsApp é uma das maiores plataformas de mídia social e mensagens. Seja jovem ou velho: a maioria dos brasileiros agora possuem o popular aplicativo.

É exatamente por isso que cada vez mais empresas oferecem aos seus clientes atendimento via WhatsApp. Pois é aí que reside a sua zona de conforto comunicativo.

Quais são as vantagens de implementar o Whatsapp no seu negócio?

Antes de tudo, confira agora as vantagens de usar o WhatsApp para atendimento ao cliente.

Flexibilidade

Ao implementar o Whatsapp no seu negócio em vez de ter que ligar para os clientes em horários específicos, o app oferece às empresas a capacidade de se comunicar diretamente com eles de forma instantânea e sem restrições de tempo. O canal também tem inúmeras vantagens em comparação com os canais tradicionais, como a linha direta. 

Além disso, existem chatbots integrados ao atendimento ao cliente. Para melhorar a eficiência do suporte, os chatbots podem responder automaticamente às perguntas e dúvidas mais comuns.

Segurança

Desde 2016, o WhatsApp vem garantindo a transmissão segura de dados, protegendo-os com criptografia de ponta a ponta. Como resultado, somente a pessoa a quem os dados foi enviado pode ver. 

A seção de ajuda do WhatsApp fornece informações sobre a criptografia de ponta a ponta. 

Bilhões de usuários

O grande número de usuários ativos mensais no aplicativo de mensagens ultrapassa 2 bilhões, dando às empresas novas oportunidades de se concentrarem no atendimento ao cliente, na aquisição e na fidelização de clientes. 

A satisfação do cliente é alta

O sucesso de uma empresa é muito maior com um alto nível de satisfação do cliente. O canal de bate-papo mais popular garante uma comunicação simples e eficiente que atende e até mesmo excede as necessidades e expectativas dos clientes, possibilitando, assim, a verdadeira satisfação do cliente. 

Fácil acesso

Ao implementar o Whatsapp no seu negócio, não é necessária nenhuma infraestrutura adicional e, de fato, essa forma de comunicação é muito mais simples e fácil de usar. Durante uma conversa, o cliente está no mesmo nível do provedor de serviços e tem a oportunidade de se expressar de forma rápida e informal. 

Reduzir os custos de serviço

Em comparação com os canais de comunicação tradicionais, como e-mail ou telefone, o WhatApp é a opção mais econômica. Você pode atender a vários clientes simultaneamente e de forma assíncrona (um para muitos), economizando tempo e recursos.

Integração de terceiros

O WhatsApp não oferece apenas uma gama de opções quando se trata de facilitar o gerenciamento de mensagens recebidas.

A API do WhatsApp Business (interface técnica para sistemas de terceiros) pode ser facilmente usada para conectar outras ferramentas, como sistemas de CRM (Salesforce and Co.). Como integrar facilmente o WhatsApp em sua estratégia digital.

Conteúdo multimídia

Além da opção de enviar mensagens de texto, o WhatsApp permite compartilhar uma variedade de conteúdo multimídia, como fotos, vídeos, locais, emojis e vários tipos de documentos. 

Essa é uma ferramenta útil para simplificar e tornar compreensível a transmissão de informações complicadas. Em determinadas situações, os emojis podem aprimorar a comunicação, criando um ambiente amigável e personalizado. 

Os clientes que recebem mensagens em um tom descontraído têm maior probabilidade de se lembrar da empresa em comparação com aqueles que recebem apenas mensagens de texto padrão na forma de blocos de texto instantaneamente reconhecíveis. 

Como usar o WhatsApp para atendimento ao cliente

Antes de implementar o Whatsapp no seu negócio, é fundamental entender como ele funciona especificamente, pois varia consideravelmente em comparação com sua versão para usuários não profissionais. 

Existem duas maneiras possíveis de usar o WhatsApp para atendimento ao cliente. 

Eu sei que parece confuso, os nomes muito parecidos, mas não são a mesma coisa! Vamos dar uma olhada mais de perto no que cada um significa e como eles funcionam. 

Aplicativo WhatsApp Business e API WhatsApp Business

Essas opções são o aplicativo WhatsApp Business e a API WhatsApp Business. À primeira vista, as versões diferem pouco, mas ainda mais nas funções e possíveis utilizações.

Embora o WhatsApp Business só possa ser usado em no máximo cinco dispositivos e, portanto, seja adequado apenas para empresas menores, a API do WhatsApp Business oferece muito mais opções para uso comercial.

Essa interface técnica (API) permite que as empresas processem mensagens do WhatsApp de clientes em grande escala.

As empresas estão usando cada vez mais serviços de mensagens no atendimento ao cliente porque oferecem a maneira mais eficaz de se comunicar com os clientes.

Esse tipo de comunicação oferece ao cliente o conforto e a comodidade desejada e até esperado na hora de adquirir um produto ou receber um serviço.

Processamento de consultas gerais de clientes

Usar um serviço de mensagens como o WhatApp pode facilitar e melhorar significativamente os processos de negócios do dia a dia e o contato geral com os clientes.

A principal vantagem é a comunicação assíncrona. Os usuários podem enviar solicitações independentemente do horário, e o atendimento ao cliente pode processar um grande número delas de maneira flexível e cronológica. 

O canal também oferece muitas oportunidades para apoiar perguntas e respostas com suplementos de mídia (imagens, vídeos, locais, mensagens de voz, dados de contato, etc.).

A operação descomplicada, mas abrangente, e o processamento mais rápido das preocupações dos clientes em tempo real garantem uma fidelização duradoura do cliente com a máxima eficiência.

Colete feedback do cliente

Nota importante: Antes de uma empresa recolher feedback dos clientes através do WhatsApp, deve primeiro garantir que todos os regulamentos de proteção de dados foram cumpridos e que o cliente deu o seu consentimento para contacto através do WhatsApp (opt-in).

Aqui estão alguns exemplos de coleta de feedback de clientes:

  • Pesquisas simples baseadas em texto para obter feedback sobre serviços ou produtos
  • Conduzindo conversas de pesquisa automatizadas e interativas usando um chatbot
  • Fornecimento de um formulário de feedback fixo, executado após a conclusão de um serviço
  • Recompensar clientes que dão feedback com, por exemplo, descontos ou vouchers

Enviar atualizações de status

Outra forma útil de permanecer conectado com os clientes e garantir que sua marca permaneça no radar deles, em todos os sentidos da palavra. 

Para manter os clientes atualizados mesmo após a realização do pedido, muitas empresas implementam o Whatsapp no seu negócio na página de checkout.

Usando esse canal de fácil acesso, os clientes podem não apenas ser informados sobre atualizações de remessas, mas também receber faturas que podem se perder na caixa de entrada de e-mail, muitas vezes superlotada.

Catálogo de produtos WhatsApp

Produtos e serviços podem ser integrados aos chamados catálogos no perfil da empresa no WhatsApp. Para que os clientes possam solicitá-los especificamente por meio da função de pesquisa. Com fotos, vídeos curtos, ofertas e campanhas de descontos, o interesse pela compra pode ser facilmente despertado e aumentado.

Como Implementar o Whatsapp no Seu Negócio (Foto - Unsplash)
Como Implementar o Whatsapp no Seu Negócio (Foto – Unsplash)

Considerações finais

Para fortalecer de forma sustentável a satisfação e a fidelidade do cliente, aumentar a eficiência do serviço, economizar e reduzir custos, implementar o Whatsapp no seu negócio para atendimento ao cliente é quase essencial.

Como juntar R$100 mil em 2024: por onde devo começar?

0
Como juntar R$100 mil em 2024: por onde devo começar?

Existem alguns fatores para considerar na hora de aprender a como juntar R$100 mil. Com uma rentabilidade mensal de 1%, serão necessários 10 anos e R$430,00 todos os meses em investimentos para acumular R$100.000. A maioria dos investimentos em renda fixa segue a Selic, taxa de juros usada para seu desempenho.

O desempenho de títulos públicos, CDBs, debêntures, LCIs e LCAs, entre outros ativos atrelados a indicadores, melhora à medida que a taxa sobe, sendo assim, entendemos que ter uma carteira de investimentos diversificada ajuda muito a atingir seus objetivos de forma mais assertiva. 

Portanto, além de escolher um bom investimento, o valor investido mensalmente é muito importante, sendo o fator que vai determinar a duração até juntar R$100 mil. Contudo, confira as nossas dicas para saber como juntar R$100 mil.

Simulação de como juntar R$100 mil em renda fixa

Antes de tudo, com nossa simulação chegamos a conclusão que o investimento em renda fixa pode reduzir o tempo necessário para chegar a determinada quantia de dinheiro. Por exemplo, os CDBs (Certificados de Depósitos Bancários), amplamente utilizados no mercado, oferecem retornos variáveis, dependendo do período de investimento ou da tolerância ao risco do banco emissor.

Calculamos quanto tempo levaria para juntar 100 mil e obter um retorno de 110% sobre os juros do CDI (aproximadamente 15% de taxa de juros com uma taxa de juros do CDI equivalente a 13,65% ao ano).

Seriam necessários 8 anos e 6 meses para acumular R$100.000 se fossem feitos depósitos de R$500 por mês. O prazo seria de 5 anos e 5 meses com um investimento mensal de R$1.000. Confira nossa tabela para saber como juntar R$100 mil.

Valor investido por mêsRemuneração obtidaTempo necessário para acumular R$ 100 milTempo necessário para acumular R$ 1 milhão
R$ 500100% do CDI (aprox. 13,65% ao ano)9 anos24,3 anos
R$ 1.000100% do CDI (aprox. 13,65% ao ano)5,7 anos19,2 anos
R$ 500110% do CDI (aprox. 15,02% ao ano)8,6 anos22,9 anos
R$ 1.000110% do CDI (aprox. 15,02% ao ano)5,5 anos18,2 anos
R$ 500117% do CDI (aprox. 16,77% ao ano)8,3 anos21,3 anos
R$ 1.000117% do CDI (aprox. 16,77% ao ano)5,4 anos17 anos

Até agora, em todos os casos, consideramos apenas o retorno total após os impostos sobre a renda fixa. Entretanto, os investimentos isentos de impostos podem aumentar seu potencial de renda. 

As letras de crédito diretas, como as conhecidas LCI e LCA, são usadas nos setores imobiliário e agrícola. Os cálculos mostram que, como a LCA não paga imposto sobre sua renda, seu retorno é comparável ao da LCI, que oferece 110% do CDI e paga 117% do CDI. 

Se um investidor aplica R$500 por mês em um produto como esse, ele terá R$100.000 em oito anos. Se ele dobrasse seu investimento para R$ 1.000 por mês, teria de esperar cinco anos e meio para receber o mesmo valor.

5 erros mais comuns na hora de juntar R$100 mil

Após saber os rendimentos e prazos estimados e de grande importância ter conhecimento dos erros mais comuns, há 5 erros com os quais você deve tomar cuidado para saber como juntar R$100 mil.

Não ter uma meta

Qualquer pessoa pode ser pega em um ciclo vicioso por causa desse erro persistente. Não estabelecer uma meta para juntar R$100 mil que responda às seguintes perguntas: Para que estou economizando? O que estou tentando alcançar? Em quanto tempo quero receber? deixa o dinheiro na poupança aberto a saques a qualquer momento.

Consequentemente, dependendo do objetivo e da capacidade de poupar, deve-se definir uma meta de curto, médio ou longo prazo. A meta pode ser o pagamento de uma entrada para uma casa, um carro, um curso, etc.

Pensa grande e junta pouco

Se você deseja conseguir juntar R$100 mil, reserve muito dinheiro para que isso aconteça. Defina uma meta de poupança específica com base em seus interesses e, em seguida, mantenha o restante de suas despesas sob controle.

Gasta mais do que você recebe

Você terá uma compreensão mais completa de sua situação financeira quando tiver suas finanças pessoais sob controle. Uma pessoa será forçada a se endividar periodicamente se gastar mais a cada mês do que recebe. Portanto, parar com o uso indevido do chamado “ant-spending” é uma maneira de reduzir os custos. 

Esses são custos modestos e recorrentes, como tomar um café no bar ou pegar um táxi até o centro da cidade. Esses custos não representam muito dinheiro por si só, mas, com o tempo, podem se transformar em uma soma considerável. Muitos deles são facilmente evitáveis.

Retira fundos pensando em repor depois

Muitas pessoas tendem a retirar dinheiro da poupança para uma festa, uma conta ou algo semelhante e muito raramente devolvem a poupança planejada. Sendo assim, o dinheiro é apenas destinado para a finalidade pretendida, não retire.

Falta de paciência

Outro grande erro que as pessoas cometem quando começam a poupar é a falta de paciência. A menos que você seja rico ou não tenha despesas, é impossível juntar R$100 mil rapidamente. A poupança é uma estratégia de longo prazo, portanto, você precisa mudar sua mentalidade.

Como juntar R$100 mil em 2024 (Foto - Unsplash)
Como juntar R$100 mil em 2024 (Foto – Unsplash)

Começar a juntar hoje e alcance seus R$100 mil em 5, 8 ou 10 anos

Contudo, eu mostrei como usar uma estratégia simples que requer muito trabalho e os investimentos certos para você saber como juntar R$100 mil em 5, 8 ou 10 anos.

É preciso investir mais dinheiro, pois quanto menor o período de tempo investido, maior será o retorno do seu investimento. Por isso, é essencial contribuir regularmente e pensar de forma estratégica. Por exemplo, 430 reais investidos todos os meses durante 20 anos rendem 430 mil reais em renda fixa. Multiplica o valor em mais de quatro vezes, dobrando o número de anos. O poder dos juros compostos fica claramente demonstrado nessa situação.

Mas é preciso entender que estabelecer metas e perceber que aumentar a renda é mais crucial e eficaz do que simplesmente cortar gastos, esses são os primeiros passos para acumular um patrimônio líquido saudável.

Como Formalizar um Pequeno Negócio: Guia Passo a Passo

0
Como Formalizar um Pequeno Negócio: Guia Passo a Passo

Mais de 2,3 milhões de novas micro e pequenas empresas foram criadas no Brasil em 2023, e a formalização é um passo necessário para que uma empresa opere legalmente. A busca de como formalizar um pequeno negócio está aumentando.

Não importa o tamanho da empresa, é essencial manter o CNPJ, a identidade visual e as questões burocráticas em dia. No entanto, muitos empreendedores têm dúvidas sobre as etapas que envolvem a formalização de um negócio.

Preparamos um artigo para ajudá-lo e tirar todas as suas dúvidas de como formalizar um pequeno negócio se você está pensando em abrir ou formalizar uma pequena empresa, mas não sabe bem por onde começar. 

Por que é importante formalizar um negócio?

Para que uma empresa cresça e obtenha mais lucros de forma planeada e atinja todo o seu potencial, estar legalmente estabelecida é um fator crucial. Os empreendedores que pretendem expandir e garantir algumas vantagens significativas que não estão disponíveis através de meios informais, é essencial formalizar a sua pequena empresa.

Como Formalizar um Pequeno Negócio (Foto - Pexels)
Como Formalizar um Pequeno Negócio (Foto – Pexels)

Para a formalização de uma pequena empresa, além da obtenção do CNPJ (Registro Nacional de Pessoas Jurídicas) e da inscrição na Previdência Social, é fundamental o cumprimento de uma série de outras formalidades. As principais vantagens por quem busca formalizar um pequeno negócio são as seguintes:

  • Posse de um CNPJ;
  • autorização para participar em concursos públicos;
  • autorização para emitir facturas;
  • Acesso a financiamento exclusivo e condições de crédito;
  • elegibilidade para as prestações da Segurança Social;
  • autorização para empregar pessoas;
  • disponibilidade de leitores de cartões e opções de pagamento adicionais;
  • Maior legitimidade junto dos clientes;
  • Possibilidade de celebração de mais acordos e contratos;
  • Para além de outras vantagens assinaláveis.

Diante de todas essas vantagens, é fácil entender como a formalização pode ser fundamental para os empreendedores que desejam se expandir.

Como registrar a marca da sua empresa?

Escolher um nome para a sua pequena empresa é um dos primeiros passos para saber como formalizar um pequeno negócio, mas como registar marcas e patentes? O registo da sua marca e patente não só ajuda a identificar a sua empresa e a acrescentar valor aos seus serviços ou produtos, como também os protege de serem plagiados.

Antes de registar a sua marca, aconselhamos tomar as seguintes medidas preventivas para acelerar o processo:

  • Verifique se a sua marca já está utilizada;
  • Decidir qual o segmento de mercado que a sua empresa vai estar;
  • Informe-se sobre os custos que vai arcar;
  • Determinar as características da sua marca.
  • Investir numa identidade de marca.

Como formalizar um pequeno negócio?

Antes de iniciar o processo de formalização, é fundamental saber se existem impostos, taxas ou contribuições pendentes junto do organismo fiscal estatal ou municipal. É preciso estar em dia com os pagamentos a esses órgãos se quiser saber como formalizar um pequeno negócio.

Se o seu negócio é offline e não online, o próximo passo é perguntar à câmara municipal se há alguma limitação para abrir uma loja no endereço que selecionou.

Para se certificar de que o registo do nome da sua empresa é permitido, deve também fazer alguma pesquisa sobre o nome da empresa. A lei estabelece que duas empresas da mesma área não podem ter o mesmo nome no Estado. Por isso, certifique-se de que o nome está disponível antes de começar a criar a sua identidade visual.

Após estes três passos, chegará à seção mais burocrática, que é melhor completar com a ajuda de um contabilista.

Defina a natureza jurídica e faça o Ato Constitutivo do negócio

O fato de a sua empresa ter ou não sócios determinará o seu estatuto jurídico. A sua empresa enquadrar-se-á numa das categorias de Sociedade Comercial, se tiver. Será um Empresário Individual se for o único proprietário.

O documento formal que cria a empresa é o contrato social, que pode ser uma declaração de empresário ou um ato constitutivo. O documento muda de acordo com o seu estatuto jurídico.

Registar a empresa

Antes de tudo, dependendo da estrutura jurídica que escolheu, a empresa pode ser registrada na Junta Comercial ou no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas. É preciso ir até lá e levar o contrato social discutido no parágrafo anterior para registrar a empresa, confira os dois tipos principais de pequenas empresas.

MEI

Se a empresa gerar menos de R$ 81 mil de faturamento por ano, é possível se cadastrar como MEI. No máximo um funcionário, não sendo permitida a participação ativa em outra empresa no MEI, saiba como formalizar um pequeno negócio MEI:

  1. Acessar a plataforma “Quero me tornar um MEI” em gov.br.
  2. Selecione a opção “Formalizar”.
  3. Clique em “Ir para gov.br” para acessar o portal do governo, caso ainda não tenha se cadastrado. Selecione “Entrar no gov.br” se já estiver logado.
  4. O site pedirá autorização para utilizar seus dados pessoais após a digitação da senha.
  5. Nesse momento, o sistema pode pedir para aumentar a confiabilidade da sua conta. Para isso, basta cadastrar o reconhecimento facial no seu smartphone e baixar o aplicativo gov.br.
  6. Em seguida, se lhe for pedido, introduza o número da sua declaração de impostos mais recente ou do seu cartão de eleitor.
  7. Podem ser solicitadas informações adicionais aos cidadãos estrangeiros, tais como a sua nacionalidade e informações de identificação civil. Carteira Nacional de Registro Migratório, Documento Provisório de Registro Nacional Migratório e Protocolo de Solicitação de Refúgio são todos documentos aceitáveis.
  8. Verifique os dados apresentados pelo sistema e, em seguida, introduza os dados necessários.
  9. Os principais dados da empresa, incluindo a área de atividade, ficam neste ecrã.

Por conseguinte, o MEI está agora acessível. No entanto, para criar um login que lhe permita emitir facturas, deve ir ao site da prefeitura local. A partir de 2020, o alvará de funcionamento deixa de ser necessário, mas os especialistas aconselham os empresários a obtê-lo por razões de segurança.

Microempresa (ME)

A ME (Microempresa) é uma ótima opção de formalização para quem tem um faturamento de mais de R$81.000,00 ou está em outra circunstância que o desqualifica para o MEI. Para formalizar o pequeno negócio ME é necessário seguir os seguintes passos.

  1. Consulta prévia de viabilidade junto aos Órgãos de Registro e Licenciamento;
  2. Contrato social e sua definição.
  3. Registro na Junta Comercial ou no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas;
  4. apresentação de pedido de alvará de funcionamento.
  5. Licença emitida pelo Ministério do Ambiente, da Saúde e dos bombeiros.
  6. Requerimento de Autorização para Impressão de Documentos Fiscais (AIDF) à Secretaria da Fazenda Estadual ou Municipal.

Ao abrir uma microempresa, seu negócio não estará limitado pelas restrições do MEI e ainda poderá usufruir das vantagens do sistema tributário do Simples Nacional, que permite o pagamento dos impostos em uma única parcela.

Consiga o alvará de funcionamento junto à Prefeitura

Não precisa de se preocupar com este passo se a sua atividade for apenas online. No entanto, terá de obter uma licença da câmara municipal local se a atividade for exercida pessoalmente. A licença é o que permite o funcionamento da sua empresa.

Terá também de obter uma licença ambiental e sanitária junto dos bombeiros locais, dependendo da natureza da atividade que pretende exercer.

Quando tudo estiver concluído, basta imprimir os documentos fiscais e mantê-los à mão para o caso de precisar deles. Com a formalização da sua empresa, poderá agora exercer legalmente as atividades.

Como Formalizar um Pequeno Negócio (Foto - Pexels)
Como Formalizar um Pequeno Negócio (Foto – Pexels)

Formalize seu negócio e veja ele crescer

Depois de ler nosso artigo você entendeu como formalizar um pequeno negócio! Sendo assim, a criação de uma estrutura empresarial formal é crucial para obter o reconhecimento da seriedade e do profissionalismo da sua empresa.

Portanto, a proteção da sua marca, do seu pessoal, dos seus clientes e dos seus parceiros é reforçada quando se tomam medidas legais.

Aproveite as oportunidades que formalizar seu negócio lhe oferece, seguindo estes passos e aprendendo a registar corretamente a sua nova empresa.

Como Entender a Taxa Selic: Impacto, Rendimentos e Crescimento

0
Como Entender a Taxa Selic: Impacto, Rendimentos e Crescimento
Como Criar um Orçamento de Gastos Fixos (Foto - Unsplash)

Primeiramente, vamos saber como entender a Taxa Selic, ela é a taxa de juros básica do país que determina o valor de outras taxas de juros na economia, incluindo empréstimos e financiamentos, e afeta muitos investimentos. Saiba mais sobre ela e como funciona, pois afeta diretamente a economia do país e a vida de seus cidadãos.

Ela afeta as taxas de juros econômicas e serve como um indicador-chave para investimentos de renda fixa. A Selic afeta a economia do país e, mais importante, sua carteira. Por esse motivo, é fundamental entendê-la.

Por isso, conhecer a Taxa Selic em 2023 será fundamental para entender o funcionamento da economia e como ela afetará nossa vida. Portanto, não deixe de conferir o conteúdo que disponibilizamos a seguir.

Como entender a Taxa Selic

A taxa básica de juros na economia brasileira é representada pela Taxa Selic. Selic é a sigla do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, administrado pelo governo federal.

Todas as taxas de juros do país são impactadas pelos movimentos da Selic. A Selic é a principal ferramenta de política monetária usada pelo Banco Central para controlar a inflação como resultado causa um efeito dominó.

Confira Também: Seja investidor-anjo de startups: alto risco e altos ganhos

Como ela é calculada? 

Para uma melhor compreensão da evolução, os cálculos do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) e suas variações podem ser consultados mensalmente.

A Taxa Selic é a taxa calculada no sistema Selic, obtida pelo cálculo da taxa média ponderada ajustada das operações de financiamento over. Lastreadas em títulos públicos federais e realizadas no sistema ou em câmaras de compensação e liquidação. As operações compromissadas envolvem o uso de ativos.

Como entender a Taxa Selic: Funcionamento, Taxa Hoje e Rendimentos Influenciados

A decisão do Copom afirma que a Taxa Selic, da qual ouvimos falar todos os dias, nada mais é do que uma referência para as taxas de juros utilizadas no mercado. Por esse motivo, ela é conhecida como Taxa Selic Meta.

Como os bancos podem negociar livremente as taxas entre si, é impossível saber qual é a taxa efetivamente utilizada no mercado, daí a existência da Selic mencionada acima. As taxas de juros aplicadas aos empréstimos interbancários constituem esse valor. A palavra “over” refere-se a transações que normalmente ocorrem em um período muito curto de tempo (um dia útil), daí o termo “over”.

A Taxa Selic está atualmente em 12,75% ao ano. O Comitê de Política Monetária (Copom) tomou a decisão de reduzir a taxa em sua última reunião, realizada em 20 de setembro de 2023.

As taxas de juros Selic afetam os investimentos de duas maneiras diferentes: diretamente, quando os rendimentos dos títulos estão vinculados à Selic, e indiretamente, como por meio dos CDIs. Saiba agora como entender a Taxa Selic e saber se ela pode afetar seus investimentos.

Títulos públicos

Os títulos do Tesouro Selic tendem a ter maior influência sobre o comportamento da Taxa Selic; se a Selic cai, o mesmo acontece com o título e vice-versa.

Como os títulos do Tesouro Prefixado e IPCA pagam por meio de canais diferentes, como o índice IPCA e uma taxa de retorno fixa, eles podem sofrer efeitos de transbordamento em relação à taxa básica de juros.

Cadernetas de poupança

A forma como as contas de poupança são compensadas mudou desde 2012. Atualmente, os depósitos são compensados da seguinte forma.

No primeiro cenário, a poupança crescerá a uma taxa de 0,5% ao mês TR (taxa de referência) se a Taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano.

No segundo cenário, se a Taxa Selic for menor ou igual a 8,5% ao ano, a poupança gerará rendimento equivalente a 70% da Taxa Selic vigente na época.

Renda Fixa

A taxa de juros Selic é um dos indicadores importantes para equilibrar os investimentos em títulos e serve de base para a taxa de juros de um país. Os investimentos de renda fixa baseados no mercado vinculados aos CDIs incluem CDBs, LCIs e LCAs.

Como entender a Taxa Selic e o Banco Central 

Ocorre o seguinte:

Os bancos emprestam uns aos outros para obter a liquidez diária de que precisam.

As transações de recompra tem o objetivo de fazer esses empréstimos. Em outras palavras, o banco A (o tomador) vende títulos públicos do banco B (o credor) com a promessa de comprá-los de volta no dia seguinte, acrescidos de juros. Em outras palavras, ele aceita dinheiro (um empréstimo), fornece títulos como garantia e promete reembolsá-los no dia seguinte, acrescidos de juros.

Os títulos funcionam como garantia e aumentam a segurança do sistema bancário. Diminuindo a probabilidade de que a falência de um banco se espalhe para outros, causando um efeito dominó sistêmico e uma crise financeira. Isso ocorre para que o banco credor, no caso de falência do banco devedor, possa liquidar os títulos oferecendo-os para venda ao Tesouro Nacional ou a outros compradores.

Sem esse título, o banco credor não conseguiria pagar suas próprias dívidas porque não conseguiria cobrar do devedor. O que poderia desencadear uma reação em cadeia que comprometeria todo o sistema financeiro do país.

Determinadas pela dinâmica do mercado (oferta e demanda) as taxas mudam, e inúmeras transações desse tipo ocorrem diariamente no mercado interbancário. Tudo isso está documentado no Selic (o sistema). A taxa média de juros aplicada a essas transações é exatamente a Taxa Selic, que é a taxa de juros fundamental da economia.

Para ficar claro, a Taxa Selic é a média ponderada das taxas de juros registradas no sistema Selic nas operações compromissadas de curto prazo entre instituições financeiras (24 horas) lastreadas em títulos públicos. O sistema realiza esse cálculo automaticamente e, na manhã seguinte, o Banco Central divulga a Taxa Selic (acima).

Qual a previsão da Taxa Selic para 2023?

Como entender a Taxa Selic?” Essa não é mais uma questão, agora que você sabe o que é, e como funciona vamos analisar as previsões futuras. A Taxa Selic é de 13,75% ao ano. A expectativa é que a Taxa Selic permaneça nesse nível no final de 2023 ou aumente 0,25 ponto porcentual.

Contudo, acompanhar as decisões anunciadas pelo Copom, que denotam possíveis aumentos, reduções ou estabilidade, é fundamental para saber mais sobre as previsões futuras e o que esperar.

Por fim, há uma relação direta entre as taxas Selic e muitos fatores que afetam nossas vidas. Se quiser considerar quais opções financeiras estão disponíveis para você, seja para obter uma hipoteca ou decidir onde e quando investir, você pode acompanhar como elas mudam ao longo do tempo para ajudá-lo a melhorar suas finanças. 

Veja Também: Como Investir em LCI e LCA: Dicas, Tipos e Vantagens